Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Que o Maior Seja o Menor

De: Eliezer de Souza


Recentemente lendo um capitulo de um livro escrito pelo Irmão André, mais conhecido como contrabandista de Deus, me chamou a atenção sobre sua posição quanto à colocação que é feita nas cartas às igrejas em apocalipse "Quem tem ouvido ouça o que o Espírito diz à Igreja".

Resolvi ler novamente as cartas e estar mais atento ao texto. Deparei-me com o texto de apocalipse 2:6 e percebi que não conhecia direito os "Nicolaítas" que Deus tanto ODEIA as obras deles e resolvi estudar para ver quem foram.

Incrivelmente não são seguidores de algum Nicolau, e sim de uma linha de pensamento.

 

Nikh  = Vitorioso no sentido de dominador ou seja DOMINADOR

Laos  = Povo

Nicolaita = Dominadores do povo

 

A história sugere que os nicolaítas foram os que hierarquizaram a igreja, pois a igreja de Cristo é chamada ao serviço de cristo "Maior é aquele que serve", e todos fomos colocados como sacerdotes . I pedro 2:9

 

Presume-se que os nicolaítas dividiram a igreja em Clero e leigo.

 

 

Clero:

Clero (do grego κληρος, transl. klêros)[1], designa o conjunto de sacerdotes (ou clérigos ou ainda ministros sagrados) responsável por um culto religioso.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Clero

Leigo:

Leigos (do grego "Laos theon", que significa o "Povo de Deus") são os membros da Igreja que não são ordenados, isto é, que não receberam o sacramento da Ordem.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Leigo

Os "Nicolaitas" portanto são os "Dominadores do povo de Deus" que se separam dos demais criando a hirarquia espiritual dentro das nossas comunidades, um grupo que se considera superior e que quer "Mandar" na Igreja que é de Cristo, não considerando a presença do Espirito Santo no irmão mais simples.

DEUS ODEIA as obras dos nicolaítas !!
DEUS ODEIA a distinção entre clero e leigo !!
 

TODOS SOMOS IGUAIS
TODOS SOMOS SACERDOTES
TODOS TEMOS IGUALMENTE AUTORIDADE COMO IGREJA DE CRISTO.

QUEM TEM OUVIDO OUÇA O QUE O ESPÍRITO DIZ ÀS IGREJAS !!!!

Meu irmão, ninguém o faça se sentir desprezado, seja por função, título, cargo, conhecimento, poder social, econômico.
NA VERDADEIRA IGREJA DE CRISTO NÂO EXISTE SUPERIORES ENTRE TODOS OS SERES HUMANOS.
Mas ao contrário, cada um considere o outro como superior a si mesmo.

“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo” (Filipenses 2:3).

Gosto muito de uma música de vencedores por cristo, de autoria do falecido de Sérgio Pimenta.
Letra a qual eu sempre me submeto para estar sempre no meu devido lugar.

FALSO VÉU - Sergio Pimenta - Grupo VPC

Quem é que pode te garantir
Que este teu jeito
De servir a Deus
Seja o melhor
Seja o mais leal
Um padrão acima do normal?

De onde vem tanta presunção
De ser mais santo
De ser capaz
De agradar a Deus
Crente nota dez
Superior acima dos fiéis

Pobre este entendimento
Que não vem de céu
Fraco discernimento
Frágil, falso véu
Tenta encobrir em vão
Teu lado animal
Luta, perseguição
Tanto desejo mau
Confusão
Divisão

Se alguém quer mesmo
Agradar a Deus
Saber das coisas
Compreender
Mostre em mansidão
De seu caminhar
Ser gentil no gesto e no olhar
E a diferença que existe em nós
Poeira vinda do mesmo chão
É somente o amor
Que nos alcançou
Graça imensa
Imenso perdão
É somente o amor
Que nos alcançou
Graça imensa
Imenso favor

 

 

 

 

Eliézer

 

 

Artigos 2003

 

Até Quando Durará o Escândalo na Internet?

 

Talvez você se surpreenda, mas pessoas que escrevem neste site, como eu, estão conscientes dos riscos de declarar verdades que se demonstram necessárias, pois podemos vir a causar escândalo para alguns e até desestimular a outros de seguir a fé adventista, tornando-nos desse modo indireta e relativamente responsáveis pela perdição eterna dessas almas.

No meu caso, imagino que irmãos mais fracos ou novatos na fé podem não suportar a leitura de tudo o que está expostoaqui. Acredito que, por muito tempo, muitos deixaram de manifestar sua indignação neste espaço, por amor a esses irmãozinhos adventistas e leitores casuais que visitam esta Igreja virtual. E sei também que os causadores e originadores dos escândalos denunciados aqui têm usado esses mesmos irmãozinhos como escudo de proteção, para continuarem como estão e destacarem a presença dos fracos quando repreendidos.

Perante o tribunal de Deus, tanto eles quanto nós teremos que dar contas pela perdição daqueles que foram comprados pelo sangue de Jesus, mas deixaram de ser atraídos a Deus por nossa influência. Os registros celestes contêm nosso nome, nossas ações, palavras, pensamentos e omissões... Não sabemos quando exatamente nosso nome será avaliado, mas em breve há de ser e devemos tremer diante deste fato, profetizado e confirmado pela interpretação matematicamente perfeita de Daniel 7.

 

Cristo, nossa defesa

Que justificativa daremos a Deus por essa "contenda virtual" que aqui desenvolvemos? Talvez nos escoraremos nos protestantes, que, por motivos semelhantes, tiveram que denunciar a Besta e o seu arbitrário domínio, o que provocou também descrédito à Religião Católica e até a Deus, como se confirma na História. O mundo, ao recusar a religião oficial denunciada pelos protestantes, abraçou a razão e os movimentos humanistas entre os séculos XVI e XVIII. Naquele período, havia também gente simples que não suportou ouvir denúncias contra sua querida Igreja e abandonou a fé!

Talvez, nosso advogado Jesus apresente diante de Deus o fato de não haver outra saída para nós, pois a liderança nunca dá ouvidos aos opositores. Não se reúne com os contestadores, disposta realmente a mudar e corrigir seus erros. Quando o faz, procura apenas justificar-se e exigir retratação. Trata-nos como inimigos mortais. Recomenda para que não preguemos nas igrejas. Marginaliza e exclui a todos os que se manifestam contrários ao que está estabelecido. Nas trienais, para votarem e seguirem como bem lhes parecer, convidam somente pessoas que dirão: “Sim, senhor, concordo”.

Entre os argumentos que provavelmente nosso poderoso advogado apresentará por nós, imagino algo mais ou menos assim:

“Meu Pai, eles encontraram na Internet a única maneira de se tornarem audíveis. Eles são menos culpados pelos escândalos, pois não foram seus autores. Eles apenas os denunciaram para que estes deixassem de acontecer. Estavam tentando, ainda que de forma imperfeita, consertar erros e problemas que já não suportavam mais ver. Falaram sem medir as conseqüências, na intenção de reformar a Igreja e de torná-la mais apta para o término da pregação do Evangelho. Não desistiram de pertencerem ao teu povo especial na terra. Por isso, arriscaram sua reputação, suas amizades, sua vida e até sua alma pelo direito, pela justiça, pela verdade que criam. Muitos deles, Meu Pai, desabafaram questões que lhes faziam doer a alma... Perdoe-os, Pai!

 

Perdão que santifica

Podemos imaginar diversos argumentos justos de Cristo e diversas acusações “justas” de Satanás para os dois, três, ou mais lados de cada questão, de cada pessoa. O fato de a Bíblia profetizar um outro julgamento que durará mil anos, pois este o juízo investigativo já dura 159 anos terrestres, demonstra quão sério é Deus para demonstrar Sua justiça. Sua demora em determinar o retorno de Seu Filho também nos recomenda a encarar aquele juízo de forma nada superficial.

Cada caso é especial para Deus, pois Ele deseja e ama a cada alma, ainda que tenha de lhe dar uma sentença negativa e despedir-se dela definitivamente. Por isso, diz a inspiração que “todo joelho se dobrará perante a justiça do Altíssimo, e até os joelhos do diabo reconhecerão a Sua verdade”.

Por outro lado, que dirão os causadores e mantenedores originais dos males apontados na Internet e, principalmente, os que se omitem de consertar o que é necessário? “Perdoa-nos, Senhor!” dirão. Ou também terão Cristo lhes advogando e dizendo: “Meu Pai, eles queriam continuar Te servindo na IASD, mas sabiam que se fossem contra certas coisas seriam banidos pelo sistema. Então, prudentemente, ficavam mais calados e cumprindo o ministério do modo que podiam cumprir sem arriscar-se a perder a oportunidade de fazê-lo...”

Imagino que o amorável Salvador poderá enumerar multidões de argumentos para defender aqueles que Ele comprou com Seu sangue e que ama profundamente. Mas, amigos, todos sabemos que Deus não pode perdoar pecados ainda que confessados, mas que não se abandonam... Deus é santo e justo. Isso torna o mero perdão de nossas faltas uma impossibilidade, tanto é que foi preciso a morte de Seu único Filho.

Se Deus nos pudesse salvar de outra maneira, certamente Jesus Cristo não morreria por nós. Deus não pode admitir pecadores no Céu. É isto o que revela aquela cruel e justa cruz. Ela não é uma injusta cruz, meus queridos. Ela é justa, pois ali foram definitiva e cabalmente pagos os nossos pecados! Deus é tão santo que teve de sofrer mais do que o Filho, para nos estender a mão, estando nós isentos da culpa paga pelo Cordeiro imaculado.

Aqui na Terra, dia a dia Ele derrama sua graça transformadora, mas aos que continuam em pecado já não restará mais arrependimento, senão juízo vingador em chamas de fogo prestes a consumir os verdadeiros adversários dos objetivos santos de Deus, que é a  nossa santificação no nome e caráter de Cristo. (Hebreus 10.)

A balança de Deus tende sempre da misericórdia para a justiça, da libertação dos escravos para os mandamentos da lei da liberdade, da graça para a vida totalmente consagrada a Cristo Jesus. E os objetivos de Deus são claros: Transformar,purificar sua Igreja, substituir os anjos caídos, fazer da terra a Capital do Universo e dos salvos, um eterno testemunho pelas infindáveis eras da eternidade.

Não nos enganemos irmãos, nada a não ser a santificação nos recomendará diante de Deus. Pois se os anjos cobrem até seus pés diante do Altíssimo (Isaías 6), como esperamos nos apresentar diante dEle, negligenciando tantas coisas que Jesus ensinou?

 

Cooperação com Deus

Precisamos cooperar com Deus, amados. Aos consagrados a Deus da Obra oficial, Deus conclama: “Confortai as mãos fracas e fortalecei os joelhos trementes, diga o fraco, eu sou forte no Senhor dos Exércitos.” Isaías 35:3. Aos santos, que defendem a Igreja no seu estado que se encontra, Deus ordena: “Saiam da frente! E não embaraceis os meus Servos que tentam purificar os vasos e lavar o santuário.” A todos: Cooperai com Deus e pela justiça. Diga um ao outro: Entremos em consenso pelo que é certo, unamo-nos pela verdade! Demos nossa vida pelos mandamentos daquele que deu sua vida por nós!

No tribunal de Deus, serão analisadas nossas palavras e as conseqüências delas por seres inteligentíssimos. Nossos motivos, desde o mais íntimo dos pensamentos, estarão claros e nítidos perante eles que detém todas as informações de nossa vida.

Quanto às conseqüências do que já escrevi, desejo me humilhar perante vocês. Faço um apelo. Não, não é exatamente um apelo. É mais um pedido de socorro: Por favor, pelo amor de Deus, filtrem o que escrevi, perdoem-me as imperfeições. Mas, se em algum item, apresentei o que é justo, por favor, aceitem e busquem a Deus para reformar. Pois se minhas palavras não causarem a salvação, então Deus não ficará satisfeito comigo. Ficará irado, pois fui um servo incompetente. Peço, portanto, a vocês que desconsiderem minha incompetência e atentem para as verdades que puderem ser observadas. Salvem-me, salvando-nos mutuamente!

O que detém a ira de Deus é Sua misericordia, mas Seu cálice está quase derramando. Unamo-nos, portanto, para fazer o que de nós é requerido. Se não, ai de nós. Ele virá e haverá muito rigor contra os adventistas, que detiveram grandes privilégios e verdades e não os valorizaram como deveriam.

Estamos em gravíssimo risco. Estamos lidando com um Deus Santo, irmãos. Não brinquemos! Não caçoemos. Não digamos um ao outro: “Nada nos advirá de mal”. Pois é terrível o dia do Senhor e ai daquele que deseja o dia do Senhor pois é dia de trevas e não de luz.” Amós 5:19-20.

Tomara que, diante de nossa condição, digamos: “Espere Senhor, não volte logo, nós até sabemos que deveríamos dizer: “Ora, vem Senhor Jesus!”, mas não estamos preparados. Tenha misericórdia, meu Deus! Permitiremos, Senhor, que Jesus cave em nosso redor e nos livre do mato e ervas daninhas que cresceram, que Ele nos fertilize com o poder de Seu Espírito e então, produziremos fruto Senhor!

 

Humilhação coletiva

Vamos nos reunir para uma humilhação coletiva diante de Deus, para que a Igreja Adventista do Sétimo Dia possa brilhar bem mais do que tem brilhado, neste mundo tão carente de uma igreja séria como a nossa. Abracemos de vez a todos os mandamentos de Deus, revelados por seu Filho Jesus.

Deus não nos impõe fardos pesados para carregarmos. Ele quer dar-nos fardos leves, fáceis de seguir. A maior dificuldade está em desvencilharmos de nossos fardos, das preocupações, da mentalidade, do medo, das tradições que imperam e pesam sobre nossas costas...

Uma sábia reunião poderá acontecer. Depois outra e outra. Com a participação de todos em espírito de santa comunhão. Assuntos até então evitados, serão discutidos. Os maiores serão os menores e os menores serão os maiores, como Cristo ensinou. Coisas e pontos injustos serão votados em santa consciência, sem manipulação, com todo o respeito. Mudanças ocorrerão paulatinamente e à medida que invocarmos a Deus, Ele nos irá abençoando ricamente e, como o povo de Israel, arrependido e renovado, sairá para ganhar grandes vitórias para Cristo. Pois quem se humilha será exaltado e aquele que se exalta será humilhado.

Queridos irmãos, que tal começarmos a orar e a santificar nossas vidas por este primeiro objetivo? Que tal ensaiarmos pedidos de desculpas uns aos outros e em choro e humilhação invocarmos a santa presença de Jeová? Só assim haverá união. Só assim os escândalos da Internet deixarão de existir. Mas se não houver humilhação de toda a Igreja perante Deus, então, irmãos, não serão os sites de oposição que nos atormentarão, será o próprio Deus!

A oração tem poder, irmãos. “Sem mim, nada podeis fazer”, disse Jesus. Mas, com Ele, tudo poderemos nAquele que nos fortalece. Mudar o Sistema da Igreja, meus amados, não é difícil para Deus. É bem fácil. O Sistema que para muitos é um monstro indestrutível, um gigante de Canaã, com um sopro do Espírito Santo, soprado por Jesus, cairá e cortaremos sua cabeça... Em breve, estará sob os nossos pés e Cristo reinará para honra e louvor do nome de Deus.

Vamos dar as mãos, tanto quanto pudermos. Vamos nos abraçar e chorar juntos. Vamos tomar decisões juntos. Vamos deixar que Cristo comande, que Seus mandamentos sejam atendidos. Oremos irmãos, a oração foi a chave da vitória de Moisés, de Elias, de Jesus, dos protestantes, dos pioneiros... É a nossa chave para abrir os grilhões. Oremos.— Sodré Gonçalves, autor da série de artigos: Nova Avaliação Geral da IASD, publicada em maio, sobre vários tópicos.