Sites Grátis no Comunidades.net
Os Cubanos Foram Jogados no caldeirão do PT

 

A vinda dos médicos é necessária, inclusive da medicina cubana que tras aspectos mais preventivos e integralistas, DCNT, etc  vejam esta análise de um médico brasileiro ... o único problema é que foi o PT que fez isso..JUSTAMENTE EM MOMENTO de intensas manifestações anti-PT e coprrupção generalizada no pais

 


 

Quero aqui apelar ao coração dos bons médicos do Brasil que parem e pensem por um minuto, de que as coisas, neste país pobre e miserável como o nosso,  estavam muito confortáveis para sua profissão e muito desconfortáveis para nós, a população. 

Logicamente não sou contra os médicos brasileiros, mas frontalmente contra ao sistema que se estabeleceu aqui, portanto peço encarecidamente aos médicos que me leem, que não levem para o lado pessoal as criticas que farei ao sistemática estabelecida aqui. Sei que alguns poucos de vocês também repudiam as mesmas coisas e portanto,  caso você ainda não o faz, peço seu apoio para o mesmo, mesmo que seja em prejuízo próprio, pois é   em favor do bem comum, do bem público, peço aderirem esta nobre causa em defesa da saúde pública.http://igrejaadventista.no.comunidades.net/index.php?pagina=1414612152

O conforto exagerado, o poder exagerado, corrompem. Quando fui pastor eu vivi isso, me bajulavam demais, me pagavam bem demais (um pastor da adventista tradicional gasta com salarios e beneficios em torno de 12 a 20 mil reais por mês contra nossa proposta de que devem ser no máximo 3 salarios mínimos apenas) e os membros ficavam como que me servindo,  contrariando frontalmente o mandamento de Jesus que diz que "o maior deve ser servo do menor". Abordei sobre isso já em 2003. 

O resultado de tal conjunto de confortos, pouca mão de obra para muitos habitantes , é que no Brasil são raros os médicos que lhe atendem bem, que tratam integralmente da sua saúde. As raras exceções que me perdoem, mas em geral estão sem tempo, receitam rapídamente um medicamento ou outro, prescrevem exames rapidamente,  e tratam de um assunto de cada vez, não contemplando integralmente o quadro de saúde da pessoa, não sondando mais possiveis relações e problemas, mas despachando-a o mais rápido possivel, devido a fila imensa,  devido outros fatores que analiseremos abaixo. Nosso sistema de saúde vive entupido de um entra e sai de gente atendido superficialmente. Como disse um amigo meu que controlava um posto de saúde, muitas vezes não o atendimento não passa de um "faz de conta" de que se "atendeu" uma pessoa.

Não é o caso de todos, existem médicos muito responsaveis e honestos é claro, mas pesquisas apontam que  a maioria dos médicos são "bons de caneta " pra ganharem comissão dos leaboratórios onde representantes como da Johnson & Johnson  chegam com cheques de 20, 30 mil premiando aqueles que receitaram muitos medicamentos deles. Na própria literatura médica se admite e se denuncia muito isso.

As pessoas não sabem , mas a maioria dos cirurgiões escolhem os suprimentos consignados, não exatamente pela qualidade, mas por aquela marca que vai dar comissão. Os laboratorios que deixam suprimentos tem uma folha de pagamento (caixa 2) só para comissionar os médicos.

A população ainda não sabe e é até bom que esse reboliço aconteça, mas a  medicina brasileira é ultra-dependente de exames e medicamentos o que torna caro  todo o sistema, apesar de gerar um lucro desgraçado pra todos, o que compra o silêncio de muitos.

Que a medicina cubana é voltada mais para a prevenção, mais voltada para uso alternativo e econômico de diversos recursos, como o uso da espinheira santa no lugar de omeprazol que se vc usar por mais de 6 meses gera dificuldades digestórias permanente, e a medicina cubana está devido até tambem suas dificuldades econômicas, muito mais apta e  representa a grande preocupação dos fóruns mundiais de saúde que condenou o modelo clinico praticado e bem pago no Brasil como totalmente insuficiente para o aumento da demanda, (ver DCNT) e que mesmo assim a maioria dos médicos brasileiros, não podem  se posicionar contra pra não aumentar a concorrência, e por verem seu monopólio e seu trono ameaçado, precisamos nesta hora sermos mais humanos, mais de todos, mais solidários em repartir espaço que está sendo pouco e inaptamente ocupado.

A ANVISA já homologou recomendações diversas fitoterápicas,  para que médicos receitem , mas apenas menos de 0, 1% pratica isso preferindo entupir a população de sintéticos racêmicos e repletos de efeitos colaterais. Diminui-se a possibilidade de se aumentar a cultura médica e populacional da "orgânica medicamentosa" e se entopem os bolsos da industria farmaceutica e dos comissionados.

As longas filas de espera para atendimentos são claros exemplos de falta de profissionais , e  as demandas reprimidas claras evidencias de falta de especialistas.  Espera-se por exemplo, 3 a 6 meses por um urologista,  imagine os milhões de brasileiros com cólica nos rins esperando o "mês" para ser atendido por um urologista, agora multiplique isso pelas outras especialidades...

Se não bastasse, o baixo numero de médicos por 1000 habitantes, ainda agrega-se ao problema o acúmulo de atribuições, por exemplo, sabe-se que qualquer técnico poderia operar ultrasson e outros equipamentos, mas o monopólio é tão insaciável,  que aglutinou a si quase todas as  funções.

Muitos médicos sabem disso e de mais de 10.000 incoerências do sistema, mas todos possuem medo do CFM, CRMs e  acham prudente  ficar quietos, pois no fim das contas, estão sendo bem pagos para ficarem calados e serão perseguidos se abrirem a boca. Isso é bem semelhante a diversas situações de funcionarios de instituições politicas e  religiosas também, todos se calam diante da injustiça que lhes está beneficiando. 







Noticias:

Quase metade dos médicos receita o que fábrica indica pela comissão

Pesquisa do Cremesp analisa valores éticos que permeiam a relação entre médicos e indústria

Mulher chora, defende Dilma e constrange médicos durante protesto

Quando FHC trouxe cubanos, Veja aplaudiu

Médicos batem ponto sem trabalhar em hospital público de SP

Máfia do câncer de Campo Grande 

SBT mostra farra de médicos em hospital público do Rio

Golpistas Falsificam Procedimentos Médicos

Exclusivo: SBT Brasil mostra a situação da saúde pública em SP (psdb)

Idosos e crianças são usados para desviar milhões do SUS

O sistema de saúde brasileiro é ultra- corrompido faz décadas , a maioria dos médicos aceitam a forma corrupta como anda muitas coisas porque são bem pagos para tal, formou-se uma elite que como crosta protege o estado das coisas na medicina, o CFM é absolutista e a saúde do brasileiro está assim um descalabro,  não por culpa deste ou de outros governos, mas por culpa do sistema que se formou durante décadas na saúde brasileira,  onde laboratórios, lobbys politicos mantidos por eles, leis e regras da saude coniventes ao lucro,  e médicos bem pagos e silenciados pelos privilegios, , tornaram nossa medicina ultra-dependente de remédios e exames que rende a todos muito lucro.

Existe um inferno atrás do corporativismo de jaleco branco, sei disso muito antes do PT subir ao poder e tenho pesquisas fundamentando isto. Ocorre que esta situação preexistente,  como bolha foi furada justamente pelo PT que está sem moral e sendo acusado de conspirar um domínio junto com Morales, Cuba de Fidel & Cia, foro de são paulo, etc... Olavo de Carvalho e ultra-direitistas comentam muito a respeito. Bom, que posição tomar? A justa. Aceitar a ajuda deles aos mais necessitados. Agora, a contar pelas reações baixas dos contrarios aos medicos, uso meu discernimento espiritual e aponto a direita como tendo um espirito violentisisimo. http://igrejaadventista.no.comunidades.net/index.php?pagina=1414612152 

Médicos Cubanos, a corrupção do

CRM/CFM e da medicina Brasileira  e

uma Breve Análise  PT , Esquerdismo e

Comunismo

Por Sodré Gonçalves

 

 

 

Me senti envergonhado de ser brasileiro quando vi esta cena, no estado que mais admiro que é o Ceará, local onde tenho grandes amigos, local que considero o mais alegre do Brasil! 

 

 

Mas graças ao bom Deus e ao bom coração dos cearenses houve a contra-partida:


 

 

 

 

Na segunda (26), eles foram xingados por

 

médicos brasileiros em Fortaleza.



 
Após xingamento, médicos estrangeiros recebem flores em Fortaleza (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)
Após xingamento, médicos estrangeiros recebem flores em Fortaleza (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)
 

Depois do protesto com vaias e xingamentos na abertura do curso, os médicos estrangeiros que chegaram aoCeará pelo Mais Médicos receberam flores e aplausos de integrantes de movimentos sociais nesta terça-feira (27) na Escola de Saúde Pública, em Fortaleza. Na saída do primeiro dia de aula do curso preparatório, os estrangeiros deram sorrisos e sinais de positivo para quem os esperava e receberam aplausos e gritos como “Cubano amigo, o povo está contigo”.

 

“Estamos seguros. Confiamos no povo brasileiro e temos uma tarefa que vamos cumprir”, afirmou o médico cubano José Armando Molina. Segundo ele, os médicos estrangeiros não ficaram assustados e tristes com o ato hostil que aconteceu na segunda-feira (26), quando foram chamados de “escravos” e “incompetentes”.

“Vimos que aquilo foi feito por uma minoria de pessoas. Hoje (terça-feira), foi o dia mais bonito desde que chegamos ao Brasil. Conhecemos que o povo brasileiro é irmão como somos dele. Estamos aqui para trabalhar para o povo brasileiro”, disse.

 
 

 

 

Breve Análise do PT - Por Sodré Gonçalves



Aponto três grandes causas  para estas manifestações anti-médicos cubanos:


1. Aspectos politicos envolvendo a tensão esquerda-direta

2. Egoísmo corporativista dos médicos

3. Corrupção do CRM/CFM, lfarmacêuticas  e sistema de saúde brasileiro, onde existe nítida formação de cartel

 

1. Aspectos politicos envolvendo a tensão esquerda-direta

Aos anti-esquerdistas digo:Vocês precisam separar o que tem de bom no lado oposto e não generalizar que tudo que o PT faz é errado. Precisamos saber distinguir as coisas , o que o PT faz ou fez de errado deve ser combatido, o que faz de certo o PT, os socialistas e Cuba, deve ser elogiado.  Vocês criam monstros, e promovem caça as bruxas, eles tem planos de conquistar a américa latina? Tem, quem sabe alguns deles ainda pensam que são monstros poderosos, mas não são mais, já cairam a muito tempo no descrédito popular. A vinda de medicos de cuba e de outros lugares é uma cortesia entre camaradas diante de uma necessidade nítida, clara, e vergonhosa da saúde brasileira. Algo minimo que dá a eles alento nesta hora de um quase impeachment de Dilma e vergonha escancarada do PT. Vocês cospem em moribundos pobres e desalmados. O que Dilma faz pelo povo é quase uma despedida..talvez alguns deles ainda queira algo mais...mas esqueçam...a esquerda já acabou..já surgiu nova onda...vivemos noutro tempo sob a formação de novas coisas...virem a página..e tentem entender esta página nova que se abriu e que será escrita pela nova geração.

 

Na historia moderna  e na internet, existem duas grandes  facções políticas denominadas esquerda e direita que vivem se degladiando de forma as vezes cega em relação a pontos positivos que cada uma tem. Elas ajuntam pontos negativos do outro lado e atiram pedras simplesmente, em vez de construirem pontes de diálogo onde todos poderíamos sair ganhando contribuições e análises políticas.

As vezes alguns amigos tentam me conquistar para um lado ou para o outro, sou mais assediado pelos da direita uma vez que sou religioso , cristão e defendo o criacionismo bíblico, contudo não tenho bandeira senão a de Cristo, estamos na Igreja Adventista da Nova Aliança que se caracteriza por aglutinar diversas  visões teológicas e não somente a nossa predileta, sabedores que o reino de Deus é invisivel e não a cabe a nenhuma bandeira religiosa dizer que a sua é a única , pois espiritualmente é que Deus nos distingue e não nós uns aos outros.

Jesus não se deteve tanto em assuntos politicos, ao governo corrupto de Cesar disse "dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus" e sobre Herodes o chamou de "rapoza". Foi bastante duro contra a exploração religiosa no templo e amável com prostitutas e pecadores rejeitados, foi atencioso com a saúde das pessoas, amoroso, interessado , portanto , queremos imitá-lo porque sabemos que Ele é o caminho a verdade e a vida. 

 

 

2. Egoísmo corporativista dos médicos Brasileiros


Flanelinhas disputam território a facas, traficantes a tiros, as mafias de varias instituições corruptas reagem violentamente quando percebem concorrência, sejam politicas, policiais, religiosas, e enfim, agora, a grande máfia da saúde representada , mantida e concubinada por muitos médicos brasileiros, mostraram sua cara a população.

Um amigo que tem mestrado em administração hospitalar me disse que das áreas que ele administrou e não foram poucas, essa é a área mais corrupta que ele viu. No dia que me falou chegou a comentar que administrava contas de zonas e de motéis e que apesar de ser ateu, nunca viu um dinheiro tão amaldiçoado. Aprendi muitos sobre esquemas hospitalares e laboratoriais que são comuns no "mercado da doença".

Então aqueles que começaram a desconfiar dos sistemas de saúde agora, pasmem, pois falta muito ainda ser mostrado do descaratismo que a medicina brasileira está enfiada. O processo de revelação do mal caratismo que produziu este sistema de regalias e protecionismo aos médicos no Brasil, produziu muito mais absurdos que o cidadão possa imaginar, acreditem, o que vemos destes cearenses dando "bandeira" é apenas a ponta do iceberg!

O poder corrompe, "quer conhecer o carater de alguem dê-lhe poder", já dizia Lincoln, e como somos todos pecadores, não é dificil prever que desgraça o exagero de ganhos e privilegios pode produzir em qualquer um de nós,  inclusive no ser humano médico.

Assim como reis bem pagos, cheios de regalias, prestigio, propina daqui e dali, se enchem de arrogancia e corrupção, assim médicos se enchem de propinas de laboratórios, de farmácias, de cada exame que encaminham ganham uma comissão, de cada suprimento usado numa cirurgia um percentual , de cada procedimento a mais, ganham mais - aglutinam todas as funções e nada sem a orientação deles se faz. Se vc vai fotografar por meio de ultrasson, só o médico pode fazer esta tarefinha em geral extremamente simples.

Então se tornaram os senhores do espaço feudal . Muito poder para eles se considerarem semi-deuses, duques e duquezas, condes e condessas da idade média vivendo entre a plebe atual.  Diante de nós no consultório, onde vc fica até inibido de questionar, discordar, perguntar e ocupar o tempo daquela pessoa super requisitada e concorrida...atrás de tanta pompa, tantos salarios, tantas propinas, nasce a arrogância de um poder ameaçado agora pela concorrência de pares.

No Brasil dos miseráveis, eles nadam de braçada em cima da desgraça e da doença. Da morte tiram lucro, diante do câncer festejam um procedimento bem pago com altas percentuais por cada quimioterápico aplicado. Diante de uma cirurgia cardíaca já contabilizam mais de 10 mil reais por usarem um kit consignado. Se alguem morre seus procedimentos só podem ser revistos por meio de ação judicial .

Protegidos, bem pagos e solitários no mercado, embalados por uma idolatria do "seu doutor mandou" exercem seu poder, se tornam politicos, prefeitos e donos da terra . Mas agora enfim, revelam de que espécie são ou foram produzidos por este sistema cheio de graça da desgraça de coisas , por este sistema que lhes privilegiava tanto, lhes mimava tanto, que podemos comparar aqueles monstrinhos mimados produzidos por mães ultra complacentes!

Para darem uma simples consulta, reúnem em torno de si uma fila imensa de miseráveis para ganhar o máximo possível de prestigio e de salarios da doença e suplicio  alheio. Então, mesmo estando com as mãos feridas e cortadas pelo sofrimento da população,  bato minhas palmas quanto mais se revelam, quanto mais se escancaram, quanto mais se esclarecem a população.

O SBT ainda mostra como muitos ganham sem fazer nada , mas o pior é que o SBT e nós sabemos muito pouco ainda . Quando li  estes links abaixo e vi  que ainda sei muito pouco do abismo, de tão negro e assustador , senti como Nietzcsche,  que  não estava mais a olhar para ele , mas que o abismo moral da medicina é que está a nos olhar

 

 

 3. Corrupção do CRM/CFM, farmacêuticas  e sistema de saúde brasileiro, onde existe nítida formação de cartel

 

Por que os médicos cubanos assustam
 
 

Elite corporativista teme que mudança do foco no atendimento abale o nosso sistema mercantil de saúde

 

Por Pedro Porfírio

 

A virulenta reação do Conselho Federal de Medicina contra a vinda de 6 mil médicos cubanos para trabalhar em áreas absolutamente carentes do país é muito mais do que uma atitude corporativista: expõe o pavor que uma certa elite da classe médica tem diante dos êxitos inevitáveis do modelo adotado na ilha,  que prioriza a prevenção e a educação para a saúde, reduzindo não apenas os índices de enfermidades, mas sobretudo a necessidade de atendimento e os custos com a saúde.

 

Essa não é a primeira investida radical do CFM e da Associação Médica Brasileira contra a prática vitoriosa dos médicos cubanos entre nós. Em 2005, quando o governador  de Tocantins não conseguia médicos para a maioria dos seus pequenos e afastados municípios, recorreu a um convênio com Cuba e viu o quadro de saúde mudar rapidamente com a presença de apenas uma centena de profissionais daquele país.

 

A reação das entidades médicas de Tocantins, comprometidas com a baixa qualidade da medicina pública que favorece o atendimento privado, foi quase de desespero. Elas só descansaram quando obtiveram uma liminar de um juiz de primeira instância determinando em 2007 a imediata “expulsão” dos médicos cubanos.

 

No Brasil, o apego às grandes cidades

 

Dos 371.788 médicos brasileiros, 260.251 estão nas regiões Sul e Sudeste

 

Neste momento, o governo da presidenta Dilma Rousseff só  está cogitando de trazer os médicos cubanos, responsáveis pelos melhores índices de saúde do Continente, diante da impossibilidade de assegurar a presença de profissionais brasileiros em mais de um milhar de municípios, mesmo com a oferta de vencimentos bem superiores aos pagos nos grandes centros urbanos.

 

E isso não acontece por acaso. O próprio modelo de formação de profissionais de saúde, com quase 58% de escolas privadas, é voltado para um tipo de atendimento vinculado à indústria de equipamentos de alta tecnologia, aos laboratórios e às vantagens do regime híbrido, em que é possível conciliar plantões de 24 horas no sistema público com seus consultórios e clínicas particulares, alimentados pelos planos de saúde.

 

Mesmo com consultas e procedimentos pagos segundo a tabela da AMB, o volume de  clientes é programado para que possam atender no mínimo dez por turnos de cinco horas. O sistema é tão direcionado que na maioria das especialidades o segurado pode ter de esperar mais de dois meses por uma consulta.

 

Além disso, dependendo da especialidade e do caráter de cada médico, é possível auferir faturamentos paralelos em comissões pelo direcionamento dos exames pedidos como rotinas em cada consulta.

 

Sem compromisso em retribuir os cursos públicos

 

Há no Brasil uma grande “injustiça orçamentária”: a formação de médicos nas faculdades públicas, que custa muito dinheiro a todos os brasileiros, não presume nenhuma retribuição social, pelo menos enquanto  não se aprova o projeto do senador Cristóvam Buarque, que obriga os médicos recém-formados que tiveram seus cursos custeados com recursos públicos a exercerem a profissão, por dois anos, em municípios com menos de 30 mil habitantes ou em comunidades carentes de regiões metropolitanas.

 

Cruzando informações, podemos chegar a um custo de R$ 792.000,00 reais para o curso de um aluno de faculdades públicas de Medicina, sem incluir a residência. E se considerarmos o perfil de quem consegue passar em vestibulares que chegam a ter 185 candidatos por vaga (UNESP), vamos nos deparar com estudantes de classe média alta, isso onde não há cotas sociais.

 

Um levantamento do Ministério da Educação detectou que na medicina os estudantes que vieram de escolas particulares respondem por 88% das matrículas nas universidades bancadas pelo Estado. Na odontologia, eles são 80%.

 

Em faculdades públicas ou privadas, os quase 13 mil médicos formados anualmente no Brasil não estão nem preparados, nem motivados para atender às populações dos grotões. E não estão por que não se habituaram à rotina da medicina preventiva e não aprenderam como atender sem as parafernálias tecnológicas de que se tornaram dependentes.

 

Concentrados no Sudeste, Sul e grandes cidades

Números oficiais do próprio CFM indicam que 70% dos médicos brasileiros concentram-se nas regiões Sudeste e Sul do país. E em geral trabalham nas grandes cidades.  Boa parte da clientela dos hospitais municipais do Rio de Janeiro, por exemplo, é formada por pacientes de municípios do interior.

Segundo pesquisa encomendada pelo Conselho,  se a média nacional é de 1,95 médicos para cada mil habitantes, no Distrito Federal esse número chega a 4,02 médicos por mil habitantes, seguido pelos estados do Rio de Janeiro (3,57), São Paulo (2,58) e Rio Grande do Sul (2,31). No extremo oposto, porém, estados como Amapá, Pará e Maranhão registram menos de um médico para mil habitantes.

A pesquisa “Demografia Médica no Brasil” revela que há uma forte tendência de o médico fixar moradia na cidade onde fez graduação ou residência. As que abrigam escolas médicas também concentram maior número de serviços de saúde, públicos ou privados, o que significa mais oportunidade de trabalho. Isso explica, em parte, a concentração de médicos em capitais com mais faculdades de medicina. A cidade de São Paulo, por exemplo, contava, em 2011, com oito escolas médicas, 876 vagas – uma vaga para cada 12.836 habitantes – e uma taxa de 4,33 médicos por mil habitantes na capital.

Mesmo nas áreas de concentração de profissionais, no setor público, o paciente dispõe de quatro vezes menos médicos que no privado. Segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar, o número de usuários de planos de saúde hoje no Brasil é de 46.634.678 e o de postos de trabalho em estabelecimentos privados e consultórios particulares, 354.536.Já o número de habitantes que dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) é de 144.098.016 pessoas, e o de postos ocupados por médicos nos estabelecimentos públicos, 281.481.

A falta de atendimento de saúde nos grotões é uma dos fatores de migração. Muitos camponeses preferem ir morar em condições mais precárias nas cidades, pois sabem que, bem ou mal, poderão recorrer a um atendimento em casos de emergência.

A solução dos médicos cubanos é mais transcendental pelas características do seu atendimento, que mudam o seu foco no sentido de evitar o aparecimento da doença.  Na Venezuela, os Centros de Diagnósticos Integrais espalhados nas periferias e grotões, que contam com 20 mil médicos cubanos, são responsáveis por uma melhoria radical  nos seus índices de saúde.

 

Cuba é reconhecida por seus êxitos na medicina e na biotecnologia

Em  sua nota ameaçadora, o CFM afirma claramente que confiar populações periféricas aos cuidados de médicos cubanos é submetê-las a profissionais não qualificados. E esbanja hipocrisia na defesa dos direitos daquelas pessoas.

Não é isso que consta dos números da Organização Mundial de Saúde.  Cuba, país submetido a um asfixiante bloqueio econômico, mostra que nesse quesito é um exemplo para o mundo e tem resultados melhores do que os do Brasil.

Quando esteve em Cuba, em 2003, a deputada Lilian Sá
foi conhecer com outros parlamentares o médico de família,
uma equipe residente no próprio conjunto habitacional

Graças à sua medicina preventiva, a ilha do Caribe tem a taxa de mortalidade infantil mais baixa da América e do Terceiro Mundo – 4,9 por mil (contra 60 por mil em 1959, quando do triunfo da revolução) – inferior à do Canadá e dos Estados Unidos. Da mesma forma, a expectativa de vida dos cubanos – 78,8 anos (contra 60 anos em 1959) – é comparável a das nações mais desenvolvidas.

Com um médico para cada 148 habitantes (78.622 no total) distribuídos por todos os seus rincões que registram 100% de cobertura, Cuba é, segundo a Organização Mundial de Saúde, a nação melhor dotada do mundo neste setor.

Segundo a New England Journal of Medicine, “o sistema de saúde cubano parece irreal. Há muitos médicos. Todo mundo tem um médico de família. Tudo é gratuito, totalmente gratuito. Apesar do fato de que Cuba dispõe de recursos limitados, seu sistema de saúde resolveu problemas que o nosso [dos EUA] não conseguiu resolver ainda. Cuba dispõe agora do dobro de médicos por habitante do que os EUA”.

O Brasil forma 13 mil médicos por ano em  200 faculdades: 116 privadas, 48 federais, 29 estaduais e 7 municipais. De 2000 a 2013, foram criadas 94 escolas médicas: 26 públicas e 68 particulares.

Formando médicos de 69 países

Estudantes estrangeiros na Escola Latino-Americana de Medicina

Em 2012, Cuba, com cerca de 13 milhões de habitantes, formou em suas 25 faculdades, inclusive uma voltada para estrangeiros, mais de 11 mil novos médicos: 5.315 cubanos e 5.694 de 69 países da América Latina, África, Ásia e inclusive dos Estados Unidos.

Atualmente, 24 mil estudantes de 116 países da América Latina, África, Ásia, Oceania e Estados Unidos (500 por turma) cursam uma faculdade de medicina gratuita em Cuba.

Entre a primeira turma de 2005 e 2010, 8.594 jovens doutores saíram da Escola Latino-Americana de Medicina. As formaturas de 2011 e 2012 foram excepcionais com cerca de oito mil graduados. No total, cerca de 15 mil médicos se formaram na Elam em 25 especialidades distintas.

Isso se reflete nos avanços em vários tipos de tratamento, inclusive em altos desafios, como vacinas para câncer do pulmão, hepatite B, cura do mal de Parkinson e da dengue.  Hoje, a indústria biotecnológica cubana tem registradas 1.200 patentes e comercializa produtos farmacêuticos e vacinas em mais de 50 países.

Presença de médicos cubanos no exterior

Desde 1963,  com o envio da primeira missão médica humanitária à Argélia, Cuba trabalha no atendimento de populações pobres no planeta. Nenhuma outra nação do mundo, nem mesmo as mais desenvolvidas, teceu semelhante rede de cooperação humanitária internacional. Desde o seu lançamento, cerca de 132 mil médicos e outros profissionais da saúde trabalharam voluntariamente em 102 países.

No total, os médicos cubanos trataram de 85 milhões de pessoas e salvaram 615 mil vidas. Atualmente, 31 mil colaboradores médicos oferecem seus serviços em 69 nações do Terceiro Mundo.

No âmbito da Alba (Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América), Cuba e Venezuela decidiram lançar em julho de 2004 uma ampla campanha humanitária continental com o nome de Operação Milagre, que consiste em operar gratuitamente latino-americanos pobres, vítimas de cataratas e outras doenças oftalmológicas, que não tenham possibilidade de pagar por uma operação que custa entre cinco e dez mil dólares. Esta missão humanitária se disseminou por outras regiões (África e Ásia). A Operação Milagre dispõe de 49 centros oftalmológicos em 15 países da América Central e do Caribe. Em 2011, mais de dois milhões de pessoas de 35 países recuperaram a plena visão.

Quando se insurge contra a vinda de médicos cubanos, com argumentos pueris, o CFM adota também uma atitude política suspeita: não quer que se desmascare a propaganda contra o  regime de Havana,  segundo a qual o sonho de todo cubano é fugir para o exterior. Os mais de 30 mil médicos espalhados pelo mundo permanecem fiéis aos compromissos sociais de quem teve todo o ensino pago pelo Estado, desde a pré-escola e de que, mais do que enriquecer, cumpre ao médico salvar vidas e prestar serviços humanitários.

Leia também:

Brasil trará 6 mil médicos cubanos para atender moradores de áreas carentes

 

 

São Paulo, segunda-feira, 31 de maio de 2010 

 

 
  Próximo Texto | Índice 

Quase metade dos médicos receita o que fábrica indica

Dados são de pesquisa inédita do Conselho Regional de Medicina de SP

Quatro em cada cinco médicos recebem visita de fabricantes; desses, 48% indicam remédios sugeridos pela indústria 

João Brito - 27.mai.2010/Folhapress
 

Visitantes com brindes na feira Hospitalar; pesquisa revela que 93% dos médicos receberam benefícios de empresas 

CLÁUDIA COLLUCCI
DE SÃO PAULO 

Quase metade (48%) dos médicos paulistas que recebem visitas de propagandistas de laboratórios prescreve medicamentos sugeridos pelos fabricantes.
Na área de equipamentos médico-hospitalares, a eficácia da visita é ainda maior: 71% dos profissionais da saúde acatam a recomendação da indústria.
Os dados, obtidos com exclusividade pela Folha, vêm de uma pesquisa inédita do Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de SP), que avaliou o comportamento médico perante as indústrias de remédios, órteses, próteses e equipamentos médico-hospitalares.
Feito pelo Datafolha, o levantamento envolveu 600 médicos de várias especialidades, que representam o universo de 100 mil profissionais que atuam no Estado.
Do total, 80% deles recebem visitas dos propagandistas de medicamentos -em média, oito por mês.
A pesquisa revela que 93% dos médicos afirmam ter recebido, nos últimos 12 meses, produtos, benefícios ou pagamento da indústria em valores até R$ 500.
Outros 37% declaram que ganharam presentes de maior valor, desde cursos a viagens para congressos internacionais.

RELAÇÃO CONTAMINADA
Para o Cremesp, um terço dos médicos mantém uma "relação contaminada com a indústria farmacêutica e de equipamentos, que ultrapassa os limites éticos".
"Para boa parte [dos médicos], a única forma de atualização é a propaganda de laboratório. E com ela vem os presentes, os brindes. Isso tomou uma dimensão maior, mais promíscua, quando as receitas passaram a ser monitoradas", diz Luiz Alberto Bacheschi, presidente do Cremesp.
Em 2005, a Folha revelou que, em troca de brindes ou dinheiro, farmácias e drogarias brasileiras auxiliavam a indústria de remédios a vigiar as receitas prescritas por médicos.
Com acesso a cópias do receituário, representantes dos laboratórios pressionavam os profissionais a indicar seus produtos e os recompensavam por isso.
A prática não é ilegal, mas é considerada antiética. Afinal, quem pode pagar essa conta é o paciente. "Na troca de favores, o médico pode receitar um medicamento que tenha a mesma eficácia clínica do que o concorrente, mas que custa mais caro", explica o cardiologista Bráulio Luna Filho, coordenador da pesquisa do Cremesp.

APOIO
A maioria dos médicos (62%) avalia de forma positiva a relação com a indústria.
Para 73% deles, os congressos científicos não se viabilizariam sem apoio da indústria de medicamentos e de equipamentos.
Luna Filho pondera que, com a internet, o acesso a informações médicas está universalizado. "Essa conversa de que médico tem que ir para congresso no exterior para se atualizar é balela. Ele vai é para fazer turismo."
Existem várias normas -inclusive um artigo no novo Código de Ética Médica, uma resolução da Anvisa e um "código de condutas" da associação das indústrias- que tentam evitar o conflito de interesses na relação entre médicos e laboratórios.
"O problema é que não existe um controle rigoroso de nenhuma das partes", diz Volnei Garrafa, professor de bioética da UnB.


Próximo Texto: Laboratórios dizem que conduta é rigorosa 
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.


 
Quem Somos Federadas Especialidade Biblioteca  Publicações Notícias Agenda  Legislação Links
Home > Notícias > Pesquisa do Cremesp analisa va...
 
Pesquisa do Cremesp analisa valores éticos que permeiam a relação entre médicos e indústria
01/06/2010 12h52


Entre os médicos paulistas, 93% ganham brindes e benefícios das empresas farmacêuticas e de equipamentos e 80% recebem visitas de representantes da indústria de medicamentos. O relacionamento dos médicos paulistas com a indústria de medicamentos, órteses, próteses e equipamentos médico-hospitalares foi analisado em pesquisa inédita do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), feita pelo Datafolha, entre dezembro de 2009 e janeiro de 2010, com 600 médicos de diversas especialidades.

O estudo mostrou que os médicos têm percepções diferenciadas sobre os valores éticos que permeiam a relação entre os profissionais e as empresas. Aqueles que avaliam positivamente a relação (62%), alegam que a indústria realiza bom atendimento técnico, traz novos medicamentos e informações científicas atualizadas. Também mencionam a idoneidade das empresas e a atualização científica por meio de congressos, cursos e eventos. Mas para cerca de um terço dos médicos, a relação está muito contaminada e por vezes ultrapassa os limites da ética, visão semelhante à do Cremesp sobre o tema.

A promoção de medicamentos, produtos e equipamentos pode influenciar, de forma negativa ou desnecessária, as decisões de tratamento, sendo que 33% dos médicos souberam ou presenciaram casos de pressão da indústria sobre médicos ou alguma parceria comercial considerada inadequada.

Com o estudo, o Cremesp espera ampliar o debate sobre a necessidade de mais transparência, maior divulgação do atual Código de Ética Médica e, eventualmente, de aprimoramento da regulação das relações entre os médicos e as empresas que fabricam e comercializam medicamentos, órteses, próteses e equipamentos médico-hospitalares. A partir desses resultados, haverá ainda pesquisa qualitativa e posterior Simpósio para discussão de problemas levantados.

Veja mais:
>> 
Confira a íntegra da pesquisa inédita do Cremesp sobre a relação médico-indústria clicandoaqui.

Fonte: Cremesp

 
:: Veja Também
SBI e Federadas
Entidades e movimento médico
Estudos e relatórios
Formação e atualização
Pesquisas e avanços
Políticas de Saúde
Resoluções e notas técnicas
Aids
Dengue
Febre Amarela
Hepatites virais
Influenza / gripe
Micobacterioses
Rubéola
Tuberculose
Demais patologias da área
Eventos: CROI 2011
Medicina de Viagem
 

R. Domingos de Morais, 1.061 - Cj. 114 - 04009-002 - Vila Mariana
São Paulo/SP - Tel/Fax: (11) 5572-8958 / 5575-5647
© 2001-2013 Sociedade Brasileira de Infectologia

 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff3105201001.htm
http://www.infectologia.org.br/default.asp?site_Acao=&paginaId=134&mNoti_Acao=mostraNoticia&noticiaId=17062




 

Médico brasileiro dá boas vindas aos cubanos: Que eles ajudem no "resgate do raciocínio clínico"...

 

www.viomundo.com.br  Veja detalhes da entrevista aqui