Sites Grátis no Comunidades.net
A Lei e a Graça





"TODA OBRA DA LEI, SEM A GRAÇA, TEM A APARÊNCIA DE UMA BOA AÇÃO, MAS VISTA DE PERTO, NÃO PASSA DE UM PECADO. MALDITO AQUELES QUE REALIZAM AS OBRAS DA LEI; BENDITOS OS QUE REALIZAM AS OBRAS DA GRAÇA. A BOA LEI QUE MOVE O CRISTÃO NÃO É A LEI MORTA DE LEVÍTICOS, NÃO É O DECÁLOGO. É O AMOR DE DEUS, DERRAMADO EM NOSSOS CORAÇÕES PELO ESPÍRITO SANTO!"

Lutero explicando seu tema favorito: "A oposição fundamental entre a lei e a graça. Páginas 106/107!





Lei de Deus é TUDO que Ele quer

Leis de Moisés são ensinos adaptados a uma época

Evangelho são ensinos revelados pelo Deus encarnado Jesus os quais reformam, corrigem, desdobram, ampliam e aprofundam ensinos judaicos

Graça é a manifestação de um plano de salvação que mais esclareceu quem Deus é e o que Ele quer, sente , pensou, pensa e planejou para seus filhos.

Seu carater é sua natureza de onde flui sua vontade , suas leis , suas atitudes de misericordia , bondade e graça, sua absoluta verdade .

http://igrejaadventista.no.comunidades.net/a-maxima...
http://igrejaadventista.no.comunidades.net/a-maxima-revelacao-do-carater-de-deus




Bíblia comentada por Lutero 




Máxima Revelação do Caráter de Deus - Sodré Neto


A graça revela muito mais o caráter de Deus que a lei. O sermão da montanha ao estabelecer os ensinos superiores de Jesus sobre os ensinos dos antigos e de Moisés, abre caminho para compreensão de que para sermos filhos de Deus teremos que amar muito mais que ser justos, ter misericordia mais que ter honestidade. Nunca exigir justiça dos outros, mas nunca deixar de "oferecê-la para mais" (CHAMBERS), alem dela, alem da milha, alem do deixar ferir a face...aí começa a revelação maior do que Deus é do que Deus quer que exista em seus filhos.

A graça é revelada/profetizada sobretudo nas leis cerimoniais dos sacrificios, revelada no propiciatorio que fica entre a luz do shekinah e a arca da aliança...toda lei antiga é importante apenas como sombra das coisas que havia de vir..sombra da graça, sombra da moral divina revelada em Cristo...as "justiças das leis civis' também são sombra das leis civis de misericordia que devem reger os crentes sob o NT.

Cancelando lei do talião "de dente por dente e olho por olho", por dar a outra face, andar duas milhas e não pelejar pelo que é seu direito, vemos como a graça substitui a justiça da lei. Se antes deveriamos nos restringir pela lei de vingar um dente por apenas outro dente, e não uma cabeça, na graça e sob os ensinos de Cristo, devemos perdoar e carregar o prejuizo do dente oferecendo amor a quem nos feriu. Desta forma, as leis antigas espelhavam apenas uma sombra do carater de Deus, que somente em Cristo, por sua vida, seus exemplos e ensinos, pode ser então revelado.
A revelação é progressiva e dá um salto imenso entre VT e NT. De aio a Cristo, de tutor ao Filho, de Hagar ilegítima a Sarah Legítima, de guia da letra a guia do Espírito....resgatando e dando continuidade apenas aquilo que a isso antecipava nas inspirações do VT.




Professores de teologia e muitos ensinadores da lei dizem o que é consenso na Igreja, que "a lei é expressão máxima do caráter de Deus". Nós seres humanos, temos a essa mania em toda historia humana, de idolatrar as coisas de Deus como se fossem igual ao próprio Deus e em ambiente de intensa valorização da lei não é de se admirar que esta idolatria infelizmente aconteça.

A lei de Deus não é máxima expressão e nem mesmo é o carater de Deus. O carater de Deus é sua complexa natureza revelada em Cristo. Entre as coisas que Cristo fez na terra, foi revelar quem era de fato seu Pai . "A vida eterna é esta, que te conheçam a ti e a Jesus a quem enviaste". João 17" . Sendo que este "conhecer" é ainda mais do que saber, é ter intimidade, amizade, relacionamento, é comer um kilo de sal com Deus . Hebreus 1 tambem fala da pessoa de Deus revelada em Cristo, bem como todo interesse divino em ter amizade e intimidade com seus filhos pecadores para resgatá-los!

A lei não tem como função a expressão o caráter de Deus, ela expressou apenas algumas de suas vontades , e indiretamente, por meio destas órdens, os conhecedores da sua lei, souberam uma pouco do caráter de Deus, assim como sabemnos um pouco de alguem através de uma carta, um quadro, uma atitude, uma obra.

Também devemos entender que a vontade de Deus é muito mais ampla que a propria lei, pois fazer a vontade de Deus muitas vezes está fora da lei, as vezes está implícita, as vezes muito acima da lei e não se espante de te dizer que as vezes está contra a lei. Abraão fora obediente porque iria matar seu Filho, porque obedecera transgredir a lei. Isso revela que Deus é em si a ética e não suas expressões gerais que em alguma circunstancia ou outra pode ser transgredida. Os pães asmos não deveriam pela lei serem comidos, mas.... .

A Máxima 




A Máxima Revelação Do Caráter De Deus



Máxima Revelação do

 

Caráter de Deus

 

http://1.bp.blogspot.com/_r9ALw6Lrqn0/TTONfCSvJ_I/AAAAAAAAAFE/mrgWQfmHyjk/s1600/44730_143554512351318_100000903100314_225329_5137315_n.jpg

Por Sodré Gonçalves

 

 

A graça revela muito mais o caráter de Deus que a lei. O sermão da montanha ao estabelecer os ensinos superiores de Jesus sobre os ensinos dos antigos e de Moisés, abre caminho para compreensão de que para sermos filhos de Deus teremos que amar muito mais que ser justos, ter misericordia mais que ter honestidade. Nunca exigir justiça dos outros, mas nunca deixar de oferecê-la para mais , alem dela, alem da milha, alem do deixar ferir a face...aí começa a revelação maior do que Deus é do que Deus quer que exista em seus filhos.

A graça é  revelada/profetizada sobretudo nas leis cerimoniais dos sacrificios, revelada no propiciatorio que fica entre a luz do shekinah e a arca da aliança...toda lei antiga é importante apenas como sombra das coisas que havia de vir..sombra da graça, sombra da moral divina revelada em Cristo...as "justiças das leis civis' também são sombra das leis civis de misericordia que devem reger os crentes sob o NT.

Cancelando lei do talião "de dente por dente e olho por olho", por dar a outra face, andar duas milhas e não pelejar pelo que é seu direito, vemos como a graça substitui a justiça da lei. Se antes deveriamos nos restringir pela lei de vingar um dente por apenas outro dente, e não uma cabeça, na graça e sob os ensinos de Cristo, devemos perdoar e carregar o prejuizo do dente oferecendo amor a quem nos feriu.  Desta forma,  as leis antigas espelhavam apenas uma sombra do carater de Deus, que somente em Cristo, por sua vida, seus exemplos e ensinos,  pode ser então revelado.

A revelação é progressiva e dá um salto imenso entre VT e NT. De aio a Cristo, de tutor ao Filho, de Hagar ilegítima a Sarah Legítima, de guia da letra a guia do Espírito....resgatando e dando continuidade apenas aquilo que a isso antecipava nas inspirações do VT.

 

 



Professores de teologia e muitos ensinadores da lei dizem o que é consenso na Igreja, que "a lei é expressão máxima do caráter de Deus". Nós seres humanos, temos a essa mania em toda historia humana, de idolatrar as coisas de Deus como se fossem igual ao próprio Deus e em ambiente de intensa valorização da lei não é de se admirar que esta idolatria infelizmente aconteça.

A lei de Deus não é máxima expressão e nem mesmo é o carater de Deus. O carater de Deus é revelado em Cristo. Entre as coisas que Cristo fez na terra,  foi revelar quem era de fato seu Pai . "A vida eterna é esta, que te conheçam a ti e a Jesus a quem enviaste". João 17" . Sendo que este "conhecer" é ainda mais do que saber, é ter intimidade, amizade, relacionamento. Hebreus 1 tambem fala da pessoa de Deus revelada em Cristo, bem como todo interesse divino em ter amizade e intimidade com seus filhos pecadores para resgatá-los!

A lei não tem como função a expressão o caráter de Deus, ela expressou  apenas algumas de suas vontades , e indiretamente,  por meio destas órdens,  os conhecedores da sua lei,  souberam uma pouco do caráter de Deus, assim como sabemnos um pouco de alguem através de uma carta, um quadro, uma atitude, uma obra.

Também devemos entender que a vontade de Deus é muito mais ampla que a propria lei, pois fazer a vontade de Deus muitas vezes está fora da lei, as vezes está implícita, as vezes  muito acima da lei e não se espante de te dizer que as vezes está contra a lei. Abraão fora obediente porque iria matar seu Filho, porque obedecera transgredir a lei. Isso revela que Deus é em si a ética e não suas expressões gerais que em alguma circunstancia ou outra pode ser transgredida. Os pães asmos não deveriam pela lei serem comidos, mas Jesus elogiou Davi quando repartiu os pães asmos com soldados devido a circunstancia.

      Saul foi rejeitado por mão matar reis e ter tido pena deles. As parteiras agiram dentro da vontade de Deus por mentir ao proteger Moisés, e Samuel obedeceu a Deus ao omitir a Saul que ungiria Davi.  Raabe por enganar seu povo cumprindo a justiça acima da lei. A lei são diretrizes gerais e nunca a plena vontade de Deus que está atrelada ao seu caráter bondoso e amoroso, complexo, sábio e surpreendente como uma pedra de tropeço. 

Nem a vontade de Deus e muito menos o imenso carater de Deus não está restrita a lei. A propria morte de Cristo foge e ultrapassa qualquer sentido da toda lei, pois nunca existiu maior injustiça e nunca existiu maior justiça. O carater de Deus é complexo, nele está a graça, a justiça, o amor, a sabedoria e a humanidade..a lei descreve apenas algumas linhas gerais sobre Ele e é muito válida apenas como uma iniciação no conhecimento de Deus.

A lei de Deus é uma pequena expressão do carater e da vontade de Deus que só foi revelado plenamente em Cristo e em seus ensinos os quais aprofundaram, mudaram e reformaram certos ensinos antigos . A lei foi uma carta de diretrizes básicas e elementares adaptada a uma época e situações, um aio, um tutor, que nos guiou a guia superior em Cristo pelo Espírito Santo (Gálatas)...Disto se compreende o ministerio da lei da antiga aliança do ministerio do Espírito na Nova Aliança...O fundamento do governo de Deus é Ele mesmo, seu proprio carater..e em seu carater se destaca a bondade, a graça e a misericordia, unido a sua justiça e sua ira contra toda injustiça aplicada em seu Filho em nosso lugar. O Evangelho é essencialmente a cruz que revela todo o coração de Deus ao nos salvar.

Idolatria da lei tenta igualar a expressão de parte de sua vontade a essencia do seu carater, o carater de Deus tem mais que ver com seu amor e bondade, é por isso que Jesus enfatizou que o resumo de toda lei (centenas de mandamentos e não apenas os dez) é o amor..quando olhamos a lei por esta perspectiva de Jesus começamos a entender um pouco mais o que é carater de Deus ali parcialmente revelado..e para olhar assim precisamos muito do Espírito Santo, pois a letra em si é morta e pouco poderá nos ajudar a contemplar parte do carater de Deus ali revelado..as vezes a letra mais atrapalha como atrapalhou aqueles que idolatravam a letra da lei..os judeus....que não aceitaram Jesus como autor da lei, e muito menos aceitam até hoje, seu apostolo enviado Paulo.

A graça revela muito mais o caráter de Deus que a lei. O sermão da montanha ao estabelecer os ensinos superiores de Jesus sobre os ensinos dos antigos e de Moisés, abre caminho para compreensão de que para sermos filhos de Deus teremos que amar muito mais que ser justos, ter misericordia mais que ter honestidade. Nunca exigir justiça dos outros, mas nunca deixar de oferecê-la para mais , alem dela, alem da milha, alem do deixar ferir a face...aí começa a revelação maior do que Deus é do que Deus quer que exista em seus filhos.

A graça é  revelada/profetizada sobretudo nas leis cerimoniais dos sacrificios, revelada no propiciatorio que fica entre a luz do shekinah e a arca da aliança...toda lei antiga é importante apenas como sombra das coisas que havia de vir..sombra da graça, sombra da moral divina revelada em Cristo...as "justiças das leis civis' também são sombra das leis civis de misericordia que devem reger os crentes sob o NT.

Cancelando lei do talião "de dente por dente e olho por olho", por dar a outra face, andar duas milhas e não pelejar pelo que é seu direito, vemos como a graça substitui a justiça da lei. Se antes deveriamos nos restringir pela lei de vingar um dente por apenas outro dente, e não uma cabeça, na graça e sob os ensinos de Cristo, devemos perdoar e carregar o prejuizo do dente oferecendo amor a quem nos feriu.  Desta forma,  as leis antigas espelhavam apenas uma sombra do carater de Deus, que somente em Cristo, por sua vida, seus exemplos e ensinos,  pode ser então revelado.

A revelação é progressiva e dá um salto imenso entre VT e NT. De aio a Cristo, de tutor ao Filho, de Hagar ilegítima a Sarah Legítima, de guia da letra a guia do Espírito....resgatando e dando continuidade apenas aquilo que a isso antecipava nas inspirações do VT.



Romanos fala que gentios pela sua consciencia sabem o que é pecado. A lei revela apenas um pouco o que é pecado, pecado explicou Cristo, vai bem mais alem do que a lei explicava. Quando o Espírito Santo nos guia saberemos que pecado é basicamente não atende-lo em tudo, em todos os momentos de nossa vida. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.Gálatas 5:18

AS VÁRIAS DEFINIÇÕES DE PECADO NA BÍBLIA -

TRANSGRESSÃO DA LEI - Pecado tem várias definições, a mais básica é "transgressão da lei" de I João 3:4. Contudo quando entendemos que a lei é ampla, (SÓ NO VT 613 MANDAMENTOS) e foi reinterpretada, melhorada, corrigida e acrescentado milhares de outros mandamentos por Jesus, e novas leis impossiveis de se seguir (ao homem natural) como "amar inimigos" "dar a outra face" , o pecado como transgressão foi ampliando proporcionalmente sua definição, e ficou mais "fácil" de acontecer, ou melhor, de ser percebido, e cada vez mais o homem se viu como totalmente impossibilitado de não cometer, exceto pela presença de Deus em nós é claro...Mas quando entendemos que o cumprimento da lei é o amor, o desamor ganha a definição de resumo do pecado e aprofundamos ainda mais tanto o conceito de pecado quanto de justiça que agora se parece mais com a bondade que com a moral .

DESSEMELHANÇA COM JESUS - Há ainda a definição de que tudo que desassemelhe de Jesus, o padrão de Deus, seja pecado..aí pecado e santidade ganham proporções infinitas. O homem foi criado a imagem e semelhança com Deus e desde que caiu vem perdendo esta semelhança, mas Jesus veio resgatar esta imagem divina perdida em nós .

SEPARAÇÃO DE DEUS - Há ainda os que definem pecado pela sua etiologia, suas causas na separação de Deus , que é a essencia do pecado quando a pessoa centraliza em si mesma, e é interessante como pecamos menos quando sentimos o amor de Deus por nós e pecamos mais quando nos cegamos e não vemos seus olhos de amor. O sofrimento e as perturbações podem nos cegar e nos refutar em relação a crença em seu amor, e isso pode criar uma rebeldia e separação em nós resultando em pecado. Quando estamos em comunhão com Ele, gostando das coisas que Ele gosta e odiando as coisas que Ele odeia, o pecado passa a não ser mais tão cometido, pois sintonizamos com os gostos e preferencias da santidade. Quando participamos de coisas que afastam a presença de Deus, o pecado e o diabo vai reinar sobre a pessoa pois que ficou sem a ligação necessaria para não pecar. Nossa natureza espiritual nascida no novo nascimento pode ser alimentada ou não, por esta convivencia com Ele e com coisas relacionadas a Ele.

PECADO É DESCRER DA JUSTIÇA OFERECIDA - A definição mais forte e mais abrangente, e mais prática e realista diante do homem pecador, vem , no meu entender, de Lutero (que se harmoniza com Jesus quando disse que o Espirito Santo nos convenceria do pecado que não era crer nEle Joao 14-16), ele disse que "nada é pecado senão a descrença" , pois quando estudamos que o evangelho é o pagamento dos nossos pecados, por aquele que se fez pecado por nós, recebendo a punição e a ira do Pai que o amava em nosso lugar, dando a unica justiça que Deus aceita, a dEle, então entendemos como pecadores que somos, que nada será pecado, senão rejeitar esta única dádiva que livra a todos nós. Se nada mais nos livra do pecado, nada será pecado senão rejeitarmos esta dádiva , e o fazemos descrendo da mesma. Nada será pecado com Ele e nada será justiça sem Ele . Pecado passa a ser descrer na justiça de Cristo, e santidade passa a ser crer na sua justiça..e as obras? Quase ia me esquecendo, as obras de Deus em nós serão maravilhosas, muitas estranhas ao senso comum, algumas estranhas a lei (Pães asmos, Abraão, pegar em chicotes, deixar parentes, pagar o mal com o bem que é injusto) , mas produzirão frutos espetaculares de salvação, porque só Deus é justiça real, e só ele em nós produz obras realmente justas. Amém.
Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar.

De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.

Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.
Gálatas 3:23-25

Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar.

De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.

Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.
Gálatas 3:23-25

De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.

Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio
Gálatas 3:24-
E com ira e com furor farei vingança sobre os gentios que não ouvem.
Miquéias 5:

Gálatas 3:24

"De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos

conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos

justificados. Mas, depois que veio a fé, já não

estamos debaixo do aio





Muitas  pessoas repetem  que a expressão do carater de Deus é sua lei e pensam que a graça dele é outro assunto, quando na verdade a graça é a expressão maior do seu carater do que a propria lei, pois nela está embutido tanto a justiça da lei (porque paga e recebe a condenação da lei em nosso lugar ) como tambem na graça vemos a misericordia (porque quis pagar em ato de amor)...e assim Deus não somente é amor na concepção nossa, mas é um tipo de amor muitas vezes muito mais amplo do que estamos acostumados, muito dificil até de visualizarmos como disse o hino "se o mar em tinta se tornasse e em papel o ceu tambem não poderiam descrever o sublime amor de Deus". Pois é um amor que se desprende de si mesmo, de seu conforto, de sua posição, de seus direitos..e vai em busca de se matar pelos outros.Este tipo de amor, em graça, é o fundamento do seu governo, é a expressão maior de seu ser, é o que Ele exige porque dá, em geral quem exige organização é ordeiro..Deus exige amor porque é amoroso. 



 

Como foi dito a graça abrange mais o carater de Deus que a lei, pois alem de a incluir  acrescenta  atributos de misericordia , e inclui não na forma raza da letra e no judaismo ou em poucos mandamentos (10), mas na profundidade e reforma que Cristo explanou no sermão do monte onde a lei de Deus demonstra ser bem mais que imaginávamos sob o judaismo...portanto a graça ensanguentada na cruz expressa muito mais o carater de Deus que a propria lei, mesmo a lei na sua mais sublime e reformada compreensão. Logo não é e nunca será a lei máxima expressão do carater de Deus. A graça expressa muito mais e Jesus ao obedecer e a amar , mais ainda. 

 







Quanto mais mortos para nós mesmos, mais este tipo de dominio estranho ao nosso egoismo, se apossa de nós (reino de Deus)....mas como disse um amigo "que adianta estar certo a respeito de uma coisa, mas não estar com quem se ama? O que adianta ganhar uma discussão e não ganhar o beijo da pessoa amada? A verdade e a razão são essenciais à ciência, mas secundárias quando o assunto é relacional. O amor deve ser o alicerce principal. O que seria de nós se Deus usasse a razão para decidir sobre nossa salvação? E se usasse a verdade ou invés da graça para nos julgar? Da próxima vez em que você tiver que decidir entre "estar certo" e estar com a pessoa amada, faça a escolha certa, escolha amar"...então Sergio, as veze seria melhor se estivesse errado. Comparamos sim Jesus a muitas coisas..o amor de Deus é comparado ao amor de mãe na Biblia...por falar em mãe, as coisas mais sagradas da terra, instrumentos de Deus, são os maiores candidatos a se tornarem ídolos..exemplos? Estola sacerdotal, serpente de bronze, lei, Templo, Igrejas, religiões, doutrinas, pastores, santos, Maria, papas, profetas, natureza, ciencia, animais, etc...quer mais exemplos de idolatria? Dissemos que "conhecer a verdade" é conhecer as doutrinas...e esquecemos que verdade é uma pessoa..e por ai vai..engraçado como sempre Jesus fica num canto...e exaltamos alguma outra coisa







A questão é que o crente que confia no sangue de Jesus (graça ensanguentada pela justiça divina em nosso lugar) não fica debaixo da lei, não tem mais como referencia as coisas elementares da lei, pois a pessoa de Cristo e seus ensinos agora é sua referencia (a qual inclui aprofundamentos e reformas na lei) e ele está debaixo da justiça e a santidade DE CRISTO que o assiste pela fé. Ele é santificado e justificado em Cristo. Quanto ao seu andar, ele se espelha em Cristo que é um padrão de justiça muito superior a lei, que muitas vezes iguala a lei, trilhões de vezes supera a lei, e algumas vezes ignora e transgride a lei. Precisamos andar em fé vivendo pelo Espírito Cristo em nós , vivendo em nossos corações a lei de Cristo reformada, corrigida, ampliada e muitas vezes radicalmente mudada em relação ao antigo pacto. Jesus substituiu o aio da lei por ser superior em nos guiar pela guia do seu espirito que nos lembra tudo que ele nos ensinou (incluindo parte da lei aprofundada ou reformada e até mudada. ex: antes era odiar inimigos agora é amar) O convertido muitas vezes age como Davi ao transgredir as leis dos pães asmos em prol de dar comida aos famintos, age como o bom samaritano e não como levita e o sacerdote que seguia mais o espirito da lei que a letra da lei, mais a lei escrita que a lei de Deus que é o amor, age como Abraão que obedeceu uma ordem terrivel e totalmente contrária lei, porque é guiado muito mais pelo Espirito que pelas convenções gerais religiosashttp://igrejaadventista.no.comunidades.net/



Jesus sim é tão sagrado como o proprio Pai, a lei é apenas uma pequena parte da expressão do carater de Deus e pode ser identificada apenas como uma pequena parte dEle. Jesus é a suprema expressão da pessoa dele (Hebreus 1:1-2) Isso que os judeus faziam e nós fazemos é apenas uma idolatria da lei, nada é tão sagrado como Ele..a lei apenas um instrumento de Deus, como anjos, como igreja, a lei é , no contexzto biblico uma revelação de PEQUENA parte de sua vontade , de pequena parte de seu carater, de seu jeito de ser, de seu sistema. Paulo categortizou todas as leis como provisorias, caducas, elementares, ministerio da letra, da morte, da condenação, aio, canga, tutor, hagar...e quando se referiu a lei como santa, justa e boa, era no contexto de substituição de sistemas...chamou o ministerio da lei de glorioso, mas que nada resplandecia ofuscado pelo ministerio da nova aliança do Espirito Santo nos guiando de forma superior a letra. Creio que jesus se estabeleceu como lei viva, quando aqui andou dando exemplo de viver..quando ensinou milhões de coisas que não estavam claramente ensinadas, e tambem quando reformou toda a lei, ora corrigindo, ora mudando, ora aprofundando, ora dando enfases a mais numa coisa e enfases a menos em outras. Ele referendou os mandamentos e entre muitos outros ensinos do nosso Mestre que é Deus conosco, nos disse: "Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.Mateus 5:19 mas sei que a guerra entre defensores da lei e do continuismo do judaismo versus defensores da graça , do Espirito Santo guiando cada convertido salvo é tão antiga quanto a Bíblia.

Que os apóstolos não resolveram plenamente esta questão e por causa dela Paulo perdeu a vida, ao ser denunciado pelos cristãos judeus de Jerusalem (veja no livro de Atos qual era acusação? era sobre a lei meu amigo) , e por mais que tentasse fazer as pazes com os judeus cristãos levando consigo dois rapazes de cabeça rapada e circuncidados, de nada adiantou...os cristãos judeus o rejeitaram como rejeitam Paulo ainda hoje, ora torcendo o que ele diz, ora perseguindo quem cita muito Gálatas, nova aliança, graça e etc...

Que Thiago não compreendeu Paulo e o esteve refutando claramente em sua carta. 

Que Paulo condena os judaizantes e exalta como superior a sobreexcelente gloria do ministerio do cristianismo (Cristo em nós). (II Corintios 3, Hebreus 8 lei escrita em nós pela conversão, etc) isso é nova aliança, onde a justiça de Cristo nos abraça.

Que havia um evangelho destinado a judeus (contendo a lei) e outro evangelho destinado a gentios (sem lei ver atos 15:29 "nos pareceu bem a nós e ao Espírito Santo não exigir nada , exceto algumas coisas"). Onde entendemos que Deus respeitou a cultura mosaica (Moisés) dos Judeus e a cultura sem lei dos gentios, mas encerrou a todos como pecadores, salvando a todos em sua graça, em sua justiça das obras do seu Filho (a unica aceita por Deus)

Que Deus abençoou mais a Paulo por estar mais entendido e aceito o evangelho e as novidades que Cristo trouxe, mesmo estando ainda sob a velha aliança e ministrando aos circuncisos judeus.

Que a salvação pela fé na justiça do sangue de Jesus, na punição vicaria, na justiça imputada e concedida a cada crente, seja ele com lei ou sem lei judaica, é a grande revelação graciosa dos céus destinada a nós, bem como todo o amor e interesse divino em nos salvar de nossos pecados pela dádiva incomparável de seu Filho como oferta pelo pecado, destinada a receber a ira divina pelo pecado no lugar daqueles que não hão de receber a ira do cordeiro e de Deus no apocalipse.

Ficamos com Paulo e com a cruz de Cristo, com o evangelho aos gentios, no qual consideramos as iniciações judaicas como elementares e básicas.

Quanto ao sábado e a lei, acreditamos no movimento adventista que entenderia o livrinho selado de Daniel e alarmariam ao mundo sobre a audacia da ponta pequena (papado) de mudar a velha e básica lei dos judeus e judeus cristãos. Este movimento pregaria sobre a hora do juizo e sobre a necessidade de adoração ao Criador no fim dos dias. Apocalipse 14

Este movimento caiu em judaismo por defender estas novidades proféticas e teve uma re-evangelização em 1888, estando aberto a mudanças desde então (Morris Venden , Bullon), e que chegando em seu Ômega (fim), passaria por uma grande transformação e sacudidura que precederia um derramar do Espírito Santo (Chuva última serôdia), no fins dos dias, os quais cremos se tratar de hoje!



Jesus é um espelho superior em todos os sentidos e nele está incluida a lei reinterpretada, aprofundada (os dez mandamentos que é apenas parte das leis de Deus) e reformada. No aspecto civil ele nos mandou que fossemos mais perdedores de direitos que justiceiros e legalistas, dar outra face, perdoar dividas contra dente por dente e olho por olho, emprestar a quem não pode pagar, ou seja "seja justo mas nunca exija justiça dos outros" resume muito da lei de Cristo na nova aliança do NT e isso suplanta e cancela muitas leis antigas, que por mais boas que sejam, eram imperfeitas e provisorias devido estarem "enfermas pela carne" , ou seja, o proprio Deus teve que reduzir a comunicação de sua vontade para poder se comunicar com os antigos ex-escravos hebreus..dando leis que nem "queria dar" (Ezequeil 20:25).

JESUS SOMENTE APROFUNDOU E EXPLICOU SENTIDOS DA LEI?
Ele menciona que Cristo em Mateus 5 estava apenas dando a verdadeira interpretação da lei, Jesus fez isso , mas Jesus não apenas fez isso, pois podemos ver que ele mudou (antes odiar inimigos e agora amar e outras mudanças ) acrescentou ensinos (bem-aventuranças), deu outras ênfases e focos, e fez uma grande mudança que combinam com sua frase "eu porém vos digo" onde o "porém" demonstra mudanças, caso contrario ele estaria apenas explicando "eu entendo, eu explico".Eu porém vos digo ganha uma força demonstrando mudança, apesar da continuidade de muitos principios.
Cristo esteve fazendo uma GRANDE REFORMA e não apenas dando continuidade a tudo. É verdade que nesta grande reforma deu continuidade a algumas coisas, focando e dando destaque ao amor, a fé, ao poder, já citadas no VT, o que ele fez colocando sob uma nova perspectiva de escala de importancia e valores que ainda não estava bem estabelecida e explicada no VT que contem a lei chamada por Paulo de "provisoria" de Moisés, sob a forma mosaica, agora não somos guiados mais pelo tutor, pelo aio, pelas regras as vezes que interpretamos erradas, mas pelo Filho em nós, pelo proprio autor das recomendações tutoriais. Agora "conhecemos a Deus, ou melhor, fomos conhecidos e guiados por Ele", de perto e não de longe, em mim e não fora de mim, pelo espirito e não por tabuas de pedra.

ESTÁ O CRISTÃO CONVERTIDO DEBAIXO DA LEI?

Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar.De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Gálatas 3:23-25

A questão é que o crente que confia no sangue de Jesus nunca fica debaixo da lei, pois a justiça e a santidade DE CRISTO o assiste pela fé. Ele é santificado e justificado em Cristo. Quanto ao seu andar, ele se espelha em Cristo que é um padrão de justiça muito superior a lei, que muitas vezes iguala a lei, trilhões de vezes supera a lei, e algumas vezes ignora e transgride a lei. Precisamos andar em fé vivendo Cristo em nós , vivendo em nossos corações a lei de Cristo reformada, corrigida, ampliada e muitas vezes radicalmente mudada em relação ao antigo pacto. O convertido muitas vezes age como Davi ao transgredir as leis dos pães asmos em prol de dar comida aos famintos, age como o bom samaritano e não como levita e o sacerdote que seguia mais a lei escrita que a lei de Deus que é o amor, age como Abraão que obedeceu uma ordem terrivel e totalmente contrária lei, porque é guiado muito mais pelo espirito que pelas convenções gerais religiosas