Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
1888 O que você Precisa Saber

1.http://www.adventistas.com/biz/1888_reexaminado/page8.htm

2. http://www.adventistas.com/info/artigos/conheca_introducao.htm

Havendo mais sites a serem recomendados, solicitamos sua contribuição pelo orkut http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgPost?cmm=98344178&tid=5568209204144986165

Mineapolis 1888

> Biografia sobre Mineapolis

> Trabalhos e apresentações acadêmicas

> Áudios e plenárias

 

A importância da Assembléia de Minneapolis 1888 na história da IASD
Ao analisarmos os diversos períodos que marcaram o desenvolvimento da História da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD), podemos identificar vários eventos que foram determinantes no processo de sua estrutura e organização. Historiadores do adventismo destacam algumas fases cruciais, como por exemplo, 1Arthur N. Patrick (1989, p.10): (a) 1831, quando iniciou a proclamação pública quanto à “proximidade do advento”; (b) 1844, o ponto de transição do primeiro dia para o Sétimo dia [Sábado]; (c) 1863, quando foi estabelecida a estrutura organizacional da Igreja; (d) 1866, quando foi inaugurado o Instituto Ocidental de Reforma de Saúde, a primeira instituição aberta no adventismo; (e) 1888, a conferência geral da IASD realizada em Minneapolis, Minnesota; (f) 1901, quando a IASD passou por um processo de reorganização; (g) 1907, a apostasia de John H. Kellogg; (h) 1919, instituto bíblico efetua uma análise das doutrinas da IASD; (i) 1957, publicação do livro Questions on Doctrine; (j) A IASD vota seu conjunto de crenças fundamentais.

É notório a existência de outras importantes datas que poderiam ser adicionadas à essa lista, mas de acordo com 2Patrick (1989, p.11) com exceção ao ano de 1844, nenhum outro evento na história da IASD exerceu maior impacto sobre os seus rumos destinos do que a experiência vivida na 27ª Assembléia da Associação Geral da IASD realizada em Minneapolis, Minnesota no ano de 1888. Não houve outra data que despertou tantos debates e diferentes interpretações como nesta assembléia. Ao avaliar o grau de importância deste evento, 3LeRoy Edwin Froom (1988, p.5) destacou,

levantando-se como o pico de uma montanha, acima de todas outras sessões em singularidade e importância. Foi um ponto decisivo. Nada como isto havia ocorrido anteriormente, e nada até então tem sido comparado com isto. Definitivamente, ela introduziu uma nova época. . . 1888 não foi um ponto de derrota, mas uma mudança de rumo para a vitória final. A despeito dos conflitos e contrariedades, Minneapolis marcou o início de décadas de esclarecimentos e avanços.

Entretanto, despeito do grau de importância que esta assembléia representou para o desenvolvimento da IASD, é válido destacar que foi marcada por diversas aspirações com intenções e ânimos polarizados, os quais promoveram um clima de discussão acirrada.

Em face ao desenvolvimento da IASD, e ao momento em que estava vivenciando, sobretudo, quanto à discussão de diversos temas doutrinários, o Pr. George Buttler, então presidente da Associação Geral da IASD, convocou um grupo de pastores para participarem de um Instituto Ministerial que precederia a assembléia geral.

Instituto Ministerial e o Espírito de Discórdia em Minneapolis

Escrevendo para a 4Review and Herald em agosto de 1888, Buttler descreveu o valor e a importância da realização de uma reunião ministerial, afirmando que: “os irmãos líderes tem sugerido a celebração de um instituto que preceda a Associação Geral do presente ano, e tem apresentado muitas razões poderosas em seu favor.” Na semana seguinte, escrevendo novamente para a Review, Buttler apresentou um vislumbre quanto à realização do encontro:

Não podemos dizer qual será a ordem exata dos exercícios [espirituais], ou que temas serão considerados de forma especial... Uma semana dedicada à instrução sobre aspectos importantes da Igreja e o trabalho das conferências, e a considerar com calma e a estudar cuidadosamente assuntos que causam perplexidade, relacionados com as Escrituras, assim como buscar ferventemente a Deus em busca de sabedoria celestial, muito provavelmente será de grande benefício.

De fato, o Instituto Ministerial que precedeu a assembléia é tido como a primeira reunião do gênero na organização adventista. Sua abertura deu-se às 14h30 da quarta-feira dia 10 de outubro e encerrou-se no dia 17 de outubro de 1888. O evento ocorreu no porão da recém construída Igreja de Minneapolis e contou com a presença de 100 ministros, tendo o Pr. Stephen N. Haskell como presidente e o Pr. Franklin E. Belden como secretário da sessão.
Em seu discurso de abertura, o Pr. Smith então secretário da Associação Geral expôs aos membros participantes sua expectativa de que aquela reunião seria proveitosa, mas, que todos deveriam orar pelo Pr. Buttler, o qual em função de uma enfermidade estaria ausente. Às vésperas das reuniões, por excesso de trabalho, sofreu um esgotamento tão grande que esteve perto de experimentar um colapso nervoso. Em seu informe, Smith ainda apresentou os principais temas a serem discutidos 5(RH, 16/10/1888) no instituto:

Os temas propostos a serem considerados nas horas de estudo bíblico e histórico são: uma vista histórica dos dez reinos, a divindade de Cristo, a cura da ferida mortal, a justificação pela fé, quão longe deveríamos ir ao se tratar de usar a sabedoria da serpente e a predestinação. Sem dúvida serão introduzidos outros temas.

De acordo com o Pr. William White in (White, 2003, pp.258 e 259)6, em face aos testemunhos quanto ao desenvolvimento da pregação do evangelho, as primeiras horas do Instituto foram marcadas por um senso de espiritualidade contagiante:

À noite às 19h30 o Pr. Haskell fez comentários comoventes sobre a obra da mensagem em países estrangeiros. Às 9h de hoje [dia 11] A. T. Jones fez uma exposição bíblica sobre o avanço da obra da mensagem do terceiro anjo. O ponto que destacou foi que a consagração pessoal deve encontrar-se no fundamento de todo nosso êxito nesta obra.

No entanto, a despeito do relato descrito pelo Pr. White, tal espírito foi se alterando à medida que certos assuntos passaram a ser apresentados pelos palestrantes do evento. As primeiras nuvens de discórdia começaram a surgir a partir do estudo sobre os dez reinos de Roma conforme de Daniel 7. Até 1888, os adventistas tradicionalmente interpretavam o décimo chifre como sendo os hunos. Nos primeiros dias do Instituto Ministerial, A. T. Jones trouxe uma nova interpretação aos ministros presentes, que colocava os alemanos no lugar do hunos. Tal fato foi encarado pelos pioneiros da IASD como uma traição aos princípios de interpretação do movimento. Mas, de acordo com 7Schwarz e Greenleaf (2000, p.178) “Smith havia estimulado a Jones a estudar estes detalhes com cuidado” [os dez chifres de Daniel 7]. Na ocasião, Smith modestamente assinalou que sua lista dos reinos que havia apresentado em seu livro Thoughts on Daniel não era original dele. Smith admitiu que havia seguido aos intérpretes mileritas e outros autores. Com uma postura militar, Jones respondeu: 7“O pastor Smith lhes diz que não sabe nada acerca deste assunto. Eu sim, o sei; e, não quero que me joguem a culpa pelo que ele não sabe”. Esta resposta foi como o estopim que implodiria o barril pólvora, gerando um espírito combativo. A assembléia seria marcada por várias sessões de pugilismo doutrinário entre dois grupos de ministros, que se polarizaram a favor dos tradicionalistas Smith (56 anos) e Butler (54 anos) ou os inovadores Jones (38 anos) e Waggoner (33 anos).

Na visão de Froom 7(1971, p.245), tal assunto era de pouco valor comparado aos grandes temas como a Divindade de Cristo, Justificação pela Fé, Expiação, e a Lei. Mesmo assim, as discussões decorrentes do estudo sobre os dez chifres foram tão intensas, que nos intervalos entre as sessões, um perguntava ao outro: “Você é Huno ou Alemano”? Esta foi uma introdução um tanto inapropriada para aquele evento. Todavia, para muitos que vieram à assembléia esperando contendas, aquilo era apenas o começo de um longo conflito que oscilaria entre divergências ideológicas e caprichos pessoais. A partir de então, certos gracejos com tom de ironia se infiltraram em meio àquela reunião, produzindo grande desconforto entre seus participantes.

A presença de Ellen G. White no evento
Ao descrever sua experiência na Assembléia de Minneapolis 1888, Ellen White descreve que 8“foi pela fé” que ela se aventurou a cruzar as montanhas rochosas para participar da conferência. Naquela época com 61 anos de idade, tomada pelo desânimo, havia sido abatida por uma enfermidade em seu lar em Elmshaven. Ao relatar seu estado, ela disse:

Não sentia nenhum desejo de recuperar-me... Não tinha forças nem sequer para orar, nem qualquer desejo de viver. Descansar, só descansar, era meu desejo; estar em silêncio e descansar. Ao encontrar-me por duas semanas vítima de uma prostração nervosa, havia esperado que nenhuma graça viria do céu em meu favor. Quando chegou a crise, a impressão era que morreria. Este era o meu pensamento. Mas esta, não era a vontade de meu Pai celestial. Meu trabalho ainda não havia terminado.9

Sentada e pensativa, ela recordou-se dos votos solenes que havia feito junto à cama de seu esposo; 10votos para vencer o inimigo, de dirigir um apelo constante e fervente aos nossos irmãos, e era chegado o momento de cumpri-los. Sendo assim, em 02 de outubro de 1888, na companhia de sua secretária Sara MacEnterfer e seu filho Willie, embarcaram num trem a fim de viajar rumo a Minneapolis. A viagem durou cerca de 8 dias, mas, o grupo finalmente chegou a tempo para o início do Instituto Ministerial em 10 de outubro de 1888.

Logo no início da reunião, Ellen G. White se deparou com um comportamento um tanto estranho entre os participantes, 11“uma atitude que nunca dantes vira entre seus colegas de liderança e ministério”, tal fato foi descrito por ela como o ‘espírito de Minneapolis’. Ao relatar esse fenômeno, George R. Knight descreve a gravidade daquele momento ressaltando algumas características manifestadas pelos participantes, como por exemplo: 12“(a) sarcasmo e zombaria (alguns se referiam a Waggoner como bichinho de estimação dos White); (b) predomínio da crítica; (c) inveja, ruins suspeitas, animosidade e ciúme; (d) sentimentos e atitudes bruscas e duras; (e) estavam intoxicados com o espírito de resistência à voz do Espírito Santo; (f) em síntese, o espírito de Minneapolis foi algo indelicado, descortês e anticristão.

É notório destacar que tal espírito se originou a partir de uma carta enviada ao Pr. Buttler por um pastor da Califórnia (William H. Healey) em fins de setembro de 1888. O conteúdo da carta 13“sugeria que os líderes da igreja do Oeste estavam ‘armando um complô’ para modificar a teologia da denominação”. Esta informação soou como uma afronta ao então presidente da Associação Geral, levando-o a tomar algumas providências emergenciais: (a) Reimprimiu o seu livro The Law in the Book of Galatians a fim de distribuir uma cópia para cada delegado da conferência, e (b) Enviou uma grande quantidade de cartas e telegramas alertando aos delegados quanto à possível conspiração e instando-os a permanecerem firmes pelos ideais antigos da denominação. Em pouco tempo a notícia havia se espalhado entre aqueles que tinham convicções arraigadas no pioneirismo e estavam dispostos a defender a causa de Smith e Buttler.

Dentre as cartas enviadas por Buttler, vale destacar uma, a (Carta 81, 1º de outubro de 1888) enviada a Ellen White dois meses antes da conferência. Em seu conteúdo de 39 páginas, 14“Buttler acusava White de ser a causa de sua enfermidade, principalmente pela maneira como ela havia aconselhado a Igreja quanto à questão da Lei em Gálatas. Ela não havia condenado a Waggoner por sua posição que estava em conflito direto com aquela defendida por Buttler e Smith”.

 

Biografia sobre Mineápollis

 

LIVROS - BIBLIOTECA UNASP–EC:
DANIELLS, Arthur G. Christ our Righteousness. 1937.
________________. Cristo Nossa Justiça. 1926.
HYDE, Gordon M. Rags to Righteousness. 1978.
JONES, A. T. A. T. Jones: the man and the message. 1988.
KNIGHT, George R. A Mensagem de 1888. 2004.
_______________. I Used to be Perfect. 2001.
LARONDELLE, Hans K. Doutrina da Salvação – Justificação Pela Fé. 1982.
TIMM, Alberto R. O Movimento Adventista e a Justificação Pela Fé. 1988.
VENDEN, Morris. Os Frutos da Justificação Pela Fé. 1992.
_____________. Salvation by Faith & Your Will. 1978.
WALLENKAMPF, Arnold Valentin. Justified: what every christian should know about being. 1988.
_________________________. Salvation Comes From the Lord. 1983.
WHITE, Ellen G. Justificação Pela Fé. 1988.

DOCUMENTOS DISPONÍVEIS NO CENTRO WHITE – BRASIL ARQUIVOS DO DF – (DOCUMENT FILES)
DF 189 – Minneapolis, Controversy 1888
DF 189-a – Righteousness by Faith
DF 189-d – 1888 Re-examined
DF 189-i – Righteousness by Faith – Steinweg Compilation
DF 189-j – Righteousness by Faith – Relation of Faith & Works
DF 189-p – Minneapolis Conference – W. C. White Notes
DF 331 – Justification by Faith

LIVROS - JAMES WHITE LIBRARY – ANDREWS UNIVERSITY
ANDERSON, Don. What is the 1888 message and why is 1888 so important.2002.
BLANK, Ralph H. How many times did Ellen White endorse the message of Jones        and Waggoner from 1888-1896?[1998?].
BURT, Merlin D. Muerte del semiarrianismo y el antitrinitarianismo en la teologia Adventista, 1888-1957. 1998.
FERCH, Arthur J. Towards righteousness by faith: 1888 in retrospect. 1989.
HALOVIAK, Bert. From righteousness to holy flesh: judgment at Minneapolis.            1988.
______________. Three paths to Minneapolis: the Adventist struggle for     righteousness. 1988.
HUDSON, A. L. The 1888 message according to Ellen G. White. 1987.
____________. What can we learn from the 1888 experience about righteousness by           faith and the preparation for the. 1968.
KNIGHT, George R. Tradução de José Barbosa da Silva. 2003.
________________. Angry saints: tensions and possibilities in the Adventist struggle          over righteousness by faith. 1989.
________________. A user friendly guide to the 1888 message. 1998.
________________. From 1888 to apostasy: the case of A.T. Jones. 1987.
NAPLES, N. C. The mystery of 1888: a study of Seventh-day Adventist history in the light of the Minneapolis Gener. 1974.
OLSON, A. V. Thirteen crisis years, 1888-1901, from the Minneapolis meeting to the   reorganization of the General.1981.
___________. Through crisis to victory, 1888-1901: from the Minneapolis meeting to the          reorganization of the Gen. 1966.
PATAI, Daphne. Looking backward, 1988-1888: essays on Edward Bellamy. 1988.
PECKHAM, John C. Righteousness by faith versus obey and live: a study of the law in Galatians in the context of the 1. 2005.
REICH, Jeff. 1888 and the fall of Babylon. 1993.
__________. From 1888 to Apostasy: a critique. 1988.
__________. The Untold truths of 1888: an analysis of the 1888 General Conference           session as found in the Ellen. 1993.
SEQUEIRA, E. H. (Jack). How can we know the truth of righteousness by faith? 1988.
SHEARER, Gary W. The Minneapolis General Conference of 1888: a bibliographical     guide to sources in the Heritage Room. 1996.
SHORT, Donald K. 1988 re-examined: a review of what happened a hundred years      after 1888. 1989.
______________. The mystery of 1888 ... 1984 appendix: a documentary update on current events in the church in. . .. [1984, 1985 printing].
______________. The three angels, 1888 and today: a church current events paper. 1984.
SPEAR, Ronald D. The Message of 1888. 1988?
The 1888 Message Study Committee. 1844-1888: treasures from the hand of Jesus.
______________________________. 1888 Message Newsletter. 1985-1997.
______________________________. A.T. Jones: the man and the message: a book          review. 1988.
_____________________________. Beginners guide to the 1888 message.
_____________________________. Eighteen Eighty-Eight Glad Tidings. 1997.
_____________________________. In search of the gospel: we believe. 1996.
_____________________________. Let history speak: a review of current proceedings in the Seventh-day Adventist Church growing out. 2001.
_____________________________. Ten great gospel truths: why doesn't 1888 die.
_____________________________. The 1888 Message Study Committee who why?          1994.
_____________________________. What is the 1888 message?: is it biblical? an     answer to inquiries. 1999.
The 1888 Message Study Committee Uniontown. The good news for laodicea, study   guides. s.d.
______________________________________. Glad tidings Bible study guides. s.d.
WAGGONER, E. J. (Edited by Robert J. Wieland) The glad tidings: Galatians made clear. 1997.
_______________. The Gospel in the book of Galatians, a review. 1977.
WALLENKAMPF, Arnold Valentin. What every Adventist should know about 1888.       1988.
WHITE, Ellen Gould. 1888 sermons. [1987].
_________________. 1888 sermons and morning talks. 1988.
_________________. Looking back at Minneapolis: [letters written during 1888-1892]. 1888.
_________________. The Ellen G. White 1888 materials: letters, manuscripts,          articles, and sermons relating to the 1888. 1987.
_________________. The Ellen G. White 1888 Minneapolis sermons: presented at the        General Conference Session and the Ge. 1966.
WIELAND, Robert J. 1888-1985, is the message relevant today? 1985.
________________. 1888, a brief look at the history & content of the message: two        documented essays. (198-).
________________. 1888 re-examined. (1959?).
________________. 1888 re-examined: 1888-1988, the story of a century of confrontation          between God and his people. 1987.
________________. 1888 the 1990's does the message have meaning today?[1990?].
________________. A brief look at "1888": what did the message say? What happened?  2003.
________________. An introduction to the 1888 message itself: as reproduced from           the available writings of Jones and. (1976?).
________________. A summary of the history & content of the 1888 message: two essays. (198-).
________________. Documents relating to the message of Christ's righteousness as presented by Jones and Waggoner. 1988.
________________. Grace on trial: the heart-warming message of 1888 and it's [sic]          power to change lives. 1988.
______________.Introducción al mensaje de 1888. 1997.
________________. Is Beyond belief beyond belief? 1994. 1980.
________________. Has Christ rejected or forsaken the organized Seventh-day      Adventist Church? a Bible study. 1992.
________________. Have we followed cunningly devised fables? a new look at the old view of "the daily" of Daniel 8:11. 2002.
________________. Lightened with his glory: questions and answers about the 1888         message. 1991.
________________. Righteousness by faith and the cleansing of the sanctuary. 2001.
________________. Questions and answers about the 1888 message. (198-).
________________. Ten great gospel truths that make the 1888 message unique.     1998.
________________. The 1888 message: an introduction. 1997.
WOHLBE, Steve. The 1888 message for the year 2000: preparing the world for the     soon   return of Jesus. 1995.
WOLD, Marty A. 1888 clarified: an historical sketch of Seventh-day Adventism, from the awakening of the 1830's to. 1990.
- 18th western regional 1888 message conference.
- Ellen G. White endorsements of the 1888 message: as brought by Jones and Waggoner.
- History of the rejected message of Minneapolis in 1888.
- Manuscripts and memories of Minneapolis: selections from non-Ellen White letters, articles, notes.
- The solution to the 1888 scenario: viewing 1888 in the light of the temples type,     Haggai 2:1-9 and.

MONOGRAFIAS – JAMES WHITE LIBRAY – Andrews University
ARMISTEAD, Charles Winston. Hermeneutics utilized by Seventh-day Adventist           pioneers before 1888: especially those used with the. 1971.
AYARS, James Arthur. What did A. T. Jones teach in 1888 at the Minneapolis General           Conference?1945-1970.
BOHR, Harold Paul. What did Waggoner and Jones really say in 1888? 1923-1972.
BROWN, Douglas Wilford. A Comparison of Mrs. White's comments on perfection        before 1888 and after. 1947-1971.
BURT, Merlin. Demise of semi-Arianism and anti-Trinitarianism in Adventist theology, 1888-1957. 1996.
CARBONELL, Roberto. An explanation of U. Smith's attitude toward righteousness by faith in the light of the Review and H. 1947-1982.
CARMONA, Eleazar Salaman. Just what did Jones and Waggoner preach in 1888? 1944-       1971.
CARTWRIGHT, Kenneth David. The message given by E. J. Waggoner in 1888 and its important relationship to Revelation 18:1. 1946-1972.
DONKOR, Kwabena. Ellen G. White's understanding of the law of God prior to 1888: a study of her writings (1878-Sept.). 1989.
FORTUNE, John Brian. What happened at the 1888 Minneapolis Conference?1941-    1971.
GELI, Pedro. The 1888 message: rejected or accepted? 1943-1969.
GRESHAM, Joe. 1888, the message, the mystery, and the misconceptions. 1989.
KING, Ronald. Issues and views surrounding the 1888 session of Seventh-day   Adventists. 1961-1997.
GREGORY, Edson Theodore. Ellet Joseph Waggoner's understanding of the law and    justification at the 1888 Minneapolis General C. 1953-1979.
HORNER, Robert. The attitude of Seventh-day Adventists toward Bible study in 1888 according to the Spirit of Prophecy. 1943-1973.
JACKSON, Daniel Richard. An analysis of the 1888 General Conference in regards to   the message of righteousness by faith. 1948-1971.
KING, Gregory Alan. The post-1888 era: a comparative study.1958-1982.
LEMON, Thomas L. The theology of Uriah Smith as portrayed in the 1888 volume of the Review and Herald editorials. 1953-1977.
MILLER, Samuel. A side-light of 1888 (National Sunday-rest bills). 1949-1974.
PLUMMER, Raymond John. The 1888 message – accepted or rejected? 1946-1970.
PROUTY, Jerry Cyril. What were the teachings of Waggoner and Jones in 1888? 1939-         1973.
SCHMID, Frieder. The crisis at Minneapolis, 1888.  1945-1972.
SEQUEIRA, Jack. The 1888 message of righteousness by faith as taught by E. J.         Waggoner and A. T. Jones. 1971.
SHOEMAKER, Fred C. I tremble for you: objectors to the 1888 message. 1997.
THOMAS, Seeho A. Effect of and appreciation for the doctrine of righteousness by faith        as presented in the early Seve. 1972.
TOMPKINS, Dorwin Harry. Righteousness by faith and the 1888 Minneapolis     Conference. 1951-1977.
VAN Denburgh, David Arnold. The 1888 message of Jones & Waggoner. 1947-1972.
WESLEY, Cornelius. Issues and views surrounding the 1888 session of Seventh-Day    Adventists. 1995.
WILLIAMS, Bradley Roy. Robert J. Wieland before 1888 re-examined and some of his effect on Adventists. 1950-1978.

DOCUMENTOS DIVERSOS (PANFLETOS, PALESTRAS ETC.) – JAMES WHITE LIBRARY – ANDREWS UNIVERSITY
­1888 Message Study Committee. A Brief, simple heart-response to recent Firm Foundation articles. 1994.
BRINSMEAD, Robert D. [What was the 1888 message?. [197-?].
COON, Roger W. Minneapolis 1888: the forgotten issue. 1988.
COTTRELL, Raymond Forest. Bad news from Minneapolis: the 1888 session of the      General Conference.  1911-2003 [1988?].
_______________________. Minneapolis – 1888. [1988].
_______________________. Reliable principles of Bible study: with the battle of 1888        over "the law" in the book of Galatians1911-2003 [198-?].
_______________________. Seminar on 1888 and righteousness by faith. 1988.
GROSBOLL, John J. 1888 and the final atonement. The harvest of 1888.
HALOVIAK, Bert. We shall behold him: issues of 1888. 1994.
_____________. Ellen White and A. T. Jones at Ottawa, 1889: diverging paths from Minneapolis.1981.
HORTOP, Kerry Hunter. The Issues of 1888: (and the aftermath). 1993.
HUDSON, A. L. Ellen G. White and the 1888 conference.
_____________. The nature of man in the 1888 episode. 1988.
KIM, Kwang Oh. Righteousness by faith in the Seventh-day Adventist Church before   1888. [1975?].
MOORE, A. Leroy. Minneapolis, 1888-1988: Part I: Spiritual Principles. 1988.
PETTIBONE, Dennis Lynn. An Outline history of Seventh-day Adventist church-state    relations in the United States 1888-1992. (1993?).
SABIN, William Bruce. An analysis of Testimonies to ministers and gospel workers       in view of righteousness by faith in 1888. 1975.
SEQUEIRA, Jack. How the 1888 message makes Romans 8:1-3 come alive with          reference to the humanity of Christ. 1989.
SHEARER, Gary W. The Minneapolis General Conference of 1888: a bibliographical     guide to materials in the Heritage Ro. 1990.
SHORT, Donald K. An Urgent look at Adventist history: A friendly response to Dr.      George R. Knight's book: "a user-fr. 1915-2004. 1998.
STRAYER, Brian Eugene. Response to five questions of the General Conference 1888   Centennial Committee. (1987?).
VANDE Vere, Emmett Kaiser. The Minneapolis event. 1904-1989 1974.
WIELAND, Robert J. 1888 re-examined. [195-?].
________________. An Answer to "Further appraisal of the manuscript '1888 re-       examined'"? 1958.
WHITE, Ellen Gould. The message of His healing grace: one of Ellen G. White's most   powerful letters about the 1888 message. 1827-1915.
WOHLBERG, Steve. Examining some key statements in the book "1888 Re-Examined". 1959-199-.
ZURCHER, J. R. (Jean Rudolf). Ellet J. Waggoner's teaching on righteousness by faith           at the 1888 General Conference session.1988.
1888 message study syllabus [S.l.: s.n.]
The mystery of 1888: a study of Seventh-day Adventist history in the light of the       Minneapolis Gener. 1974.
Camp Winnekeag: 1988 regional conference of the 1888 Message Study Committee.
The message of His healing grace: 7th national 1888 message conference. 1991.

ARTIGOS - JAMES WHITE LIBRARY – ANDREWS UNIVERSITY
OLSON, Robert W. 1888: issues, outcomes, lessons. 1920-1988.

TÍTULOS ENCONTRADOS NO SITE - [www.andrews.edu/library]
General Conference Study Committee Materials, 1973 regarding Righteousness by Faith and 1888
1888 Message, Donald K. Short
1888 Message, Robert J. Wieland
White, Ellen G. in Minneapolis in 1888, White Estates memorandum re
Butler, George I. statement of 1893 regarding 1888 Movement
White, Ellen G.'s writings on Righteousness by Faith before 1888
Righteousness by Faith teaching after 1888
Righteousness by Faith in the writings of Joseph H. Waggoner, 1888 Era
Ministerial Institutes following 1888 Meeting
Challenges to Ellen G. White's Prophetic Authority at 1888 General Conference
White, W.C., handwritten notes from various meetings held in 1888
1888; Burnside, George

 

Trabalhos e apresentações acadêmicas

Trabalhos acadêmicos e apresentações em Powerpoint elaborados pelos alunos da FAT (Faculdade Adventista de Teologia) do Centro Universitário Adventista de São Paulo - Campus 2. Os temas dos trabalhos estão ligados à Assembléia da Conferência Geral da IASD em Minneapolis, 1888, e também à mensagem apresentada nas reuniões, especialmente "Justificação pela Fé".

A visão legalista dos ASD no período pré-Mineápolis 1888 “herança religiosa”
Apresentação de Power Point


A Herança Perfeccionista e sua influência na assembléia de Mineápolis 1888
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point

A Biografia de George Butler
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


Viida e Obra de A. T. Jones
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


Biografia de Ellet Joseph Waggoner

Apresentação de Power Point

Contexto Geral da Assembléia da AG de Mineápolis 1888
Apresentação de Power Point

O Discernimento de Uriah Smith quanto a Mensagem de Justificação pela Fé
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


A Visão de Jones sobre Gálatas
Apresentação de Power Point


A Mensagem de Waggoner em Mineápolis 1888
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


Desenvolvimento Histórico da Doutrina da Justificação pela Fé
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


Mineápolis e a Natureza de Cristo – Semente para o Século XX
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


Visão Panorâmica da Obra “Cristo Nossa Justiça” de Arthur Daniells
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


O Sentido de Mineápolis – a Essência da Mensagem de 1888
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point


Lições de Mineápolis 1888
Arquivo em PDF | Apresentação de Power Point

 

Áudios e plenárias

 

Áudio das plenárias apresentadas na programação especial de comemoração dos 120 anos de Minneapolis - 1888.

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Ms. Adolfo Suárez
Tema: “As singularidades de Ellen G. White: Reflexões sócio-culturais de uma americana notável, com ênfase na crise de 1888”. [Download]

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Amin Rodor
Tema: “O legado de Minneapolis 1888”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Natanael Moraes
Tema: “A justificação pela fé em Romanos 3”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Roberto Pereira
Tema: “O significado da mensagem de Minneapolis para a IASD do século 21”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Rodrigo Silva
Tema: “Harmonizando Tiago e Paulo – um breve histórico”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. José Carlos Ramos
Tema: “Os doze pilares da Justificação pela Fé”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Berndt Wolter
Tema: “Justificação pela fé e missiologia na IASD”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Reinaldo Siqueira
Tema: “A centralidade da Bíblia na sustentação da doutrina da justificação pela fé em 1888”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. José M. Rocha
Tema: “Unidade doutrinária e crescimento de igreja no período pós 1888”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Amin Rodor
Tema: “Alonzo T. Jones: O declínio de um líder”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download

http://10.132.0.185/centrowhite.org.br/images/icon-audio.gif Dr. Wilson Paroschi
Tema: “Justificação pela Fé”. [Download] Clique para fazer o Download Clique para fazer o Download